Utopia liberal de Richard Rorty

Antonio Claudio Engelke Menezes Teixeira

Resumo


Resumo:

O objetivo deste artigo é contribuir tanto para uma compreensão mais aguda das críticas feitas à filosofia política de Richard Rorty quanto para uma leitura mais generosa de suas qualidades. O foco de análise serão as principais ideias expressas por Rorty em “Contingência, Ironia e Solidariedade” -- o impacto do reconhecimento do caráter contingente das crenças que servem de suporte ao ideário liberal-democrático, a distinção entre público e privado, a aposta no poder das redescrições como fonte de progresso moral -- bem como alguns problemas que tais ideias suscitam. Para tanto, discutirei criticamente objeções e comentários feitos por autores como Juergen Habermas, Richard Bernstein, Nancy Fraser, Christopher Voparil, James Conant, Thomas McCarthy, entre outros.

Palavras-chave: Utopia. Rorty. Liberalismo. Contingência. Redescrição.


Abstract:

The purpose of this article is to foster not only a deeper comprehension of the criticism aimed at Richard Rorty's political philosophy, but also to suggest a more generous reading of its qualities. The main branch of analysis will be the ideas Rorty advances in “Contingency, Irony and Solidarity -- the impact of acknowledging the contingency of beliefs that support liberaldemocratic values, the public-private distinction, the assumption of redescriptions as sources of moral progress -- as well as the doubts they aroused. To do so, I will critically discuss objections and commentaries made by authors such as Juergen Habermas, Richard Bernstein, Nancy Fraser, Christopher Voparil, James Conant, Thomas McCarthy, among others.

Keywords: Utopia. Rorty. Liberalism. Contingency. Redescription.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.