O mito moderno da Mulher Maravilha

Susana de Castro

Resumo


Resumo:

Considerando a perspectiva grega androcêntrica a partir da qual esse mito é tradicionalmente narrado, as Amazonas seriam mulheres selvagens, descendentes do deus da guerra Ares. Capazes de retirar um dos seios a fim de manusear melhor o arco e flecha, eram consideradas inimigas dos homens. A personagem em quadrinho Mulher Maravilha surge no meio da Segunda Guerra, em dezembro de 1941. Seu autor W. M. Marston atribui-lhe uma origem guerreira como princesa das Amazonas, Diana, filha da rainha Hipólita. Ela decide abandonar seu reino para acompanhar o capitão Steve Trevor, membro da inteligência do exército. Os quadrinhos refletiam o momento político conturbado e a Mulher Maravilha, munida dos superpoderes das Amazonas, encarna o ideal militar de bravura. Suas missões estarão relacionadas à guerra e seu disfarce será o de uma tenente da marinha que usa óculos, Diana Prince. Neste trabalho, procurarei explorar os limites e as modificações entre os dois mitos, o grego e a sua versão americana. Há claramente uma mudança na perspectiva do narrador do mito. Se no mito grego a mulher é temida por seu ódio aos homens, no segundo, o de Marston, ela colabora com os homens. Por que a mudança e em que medida essa medida reflete os ideais da mulher contemporânea, são algumas das questões que guiam este artigo.

Palavras-chave: Mulher-Maravilha. feminismo. mitologia grega.


Abstract:

Considering the andocentric Greek perspective by which this mythos is traditionally narrated, the Amazons would be savage women, descendents of the god or war Ares. Capable of rooting out the breast to better handle bow and arrow, they were considered enemies of men. The comic-book character Wonder Woman appears initially amid the World War 2 in December of 1941. W. M. Marston, the author, gave her a warrior origin as princess of Amazons, Diana, daughter of Queen Hypolita. She decided to resign her reign to join Captain Steve Trevor, member of the service of intelligence of the army. The comic books reflected a complex political moment and Wonder Woman, armed with the super powers of the Amazons, incarnated the military ideal of bravery. Her missions were related to the war and her disguise was a navy lieutenant with glasses named Diana Prince. In this work, I will explore the limits and differences between mythos, the Greek and the American version. It is noticeable the change of perspective of the narrator. In the Greek mythos, the woman is feared by her hatred to men, and in the second, the Marston Mythos, she collaborates with men. Why this change happened and how it can reflect the ideals of contemporary woman are some of the problems that will guide this article.

Keywords: Wonder-Woman. feminism. Greek mythology.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.