A heroína românticas e o anti-herói neopicaresco: um estudo comparatista da protagonista de autores marginais em romances de extração histórica nos limites da série literária argentina

Thiago Carvalhal

Resumo


O romance histórico, que desponta na Europa do início do século XIX para se difundir fecundamente no interior de uma enorme variedade de séries literárias mundo afora, é fruto inconteste da modernidade, engendrado no bojo das práticas discursivas do movimento românticono qual se inscreve. Na América-hispânica, a difusão do gêneroencontraria campo fértil para a sua disseminação através da vigência de um historicismo objetivista, sob a égidedas correntes positivista e liberalista como seusprimadosepistemológicos, alinhado às premissas artístico-ideológicas da modernidade pós-colonial, e em ajuste junto aos postulados românticos (de exaltação da subjetividade, do sentimentalismo e da revaloração de temas nativos) notadamente presentes em grande parte da poética do momento de formação de um imaginário no cerne do processo de construção do Estado Nacional Argentino.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.