A escrita utópica como fuga da impraticabilidade do real: o Brasil como espaço de refúgio e progresso em Stefan Zweig e Michel Laub

Gabriel Felipe Pautz Munsberg

Resumo


Em 1941, o escritor austríaco Stefan Zweig realizou o lançamento de Brasil, país
do futuro, ensaio contendo o resultado de suas pesquisas pelo país no qual fixou residência em seu exílio até sua morte. A obra -- que foi lançada simultaneamente em português, alemão, francês, inglês e sueco -- causou recepções diferenciadas por seus leitores. A boa imagem do Brasil passada por Zweig foi, e continua sendo, alvo de críticas e desacordos, uma vez que o país sofria com a ditadura do Estado Novo (1939- 1945); dessa forma, País do futuro foi taxada muitas vezes como uma obra que, ao elogiar o Brasil, louvava também o governo brasileiro.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.