A fronteira como locus de enunciação da identidade mestiza: Gloria Anzaldúa e a multiplicidade do ser

Fidelainy Sousa Silva

Resumo


A concepção moderna de fronteira define essa região como um espaço de enunciações e possibilidades múltiplas de encontro e diálogos culturais. Essa mudança conceitual ocorre paralelamente a essa a globalização e os grandes processos migratórios que fragilizam as divisões tradicionais de sociedade. Assim, as concepções de classe, de gênero, de etnia e de nacionalidade perdem a fixidez conceitual. Por isso, partimos dessa nova abordagem conceitual sobre fronteira para evidenciarmos esse lugar de diversidade identitária, onde as novas amostragens culturais colocam em xeque os sujeitos silenciados ou negligenciados pela história. Trabalhamos com a obra Borderlands/ La frontera - The new mestiza(1987) de Gloria Anzaldúa na intenção de romper o ciclo de apagamento desses sujeitos de fronteira alijados culturalmente.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.