Notícias

Chamada para o primeiro dossiê de 2018

 

Car@s colegas:

Tudo bem?

É com satisfação que anunciamos a chamada para o primeiro dossiê de 2018: 50 anos de 1968.

O dossiê tem como editor convidado o Prof. Daniel Aarão Reis (UFRJ).

Seguem abaixo o texto da chamada e o prazo para as submissões.

Anunciaremos em breve os temas dos demais dossiês do ano.

A submissão de artigos deve ser realizada na plataforma da revista: http://www.revistas.ufrj.br/index.php/eco_pos

Para o dossiê, a Revista ECO-Pós aceita somente artigos de autoria de doutores ou em coautoria com doutores. Essa exigência não se aplica a seção Resenha.

A revista não está neste momento aceitando artigos para a seção Perspectivas.

A ECO-Pós é avaliada como B1 no WebQualis da Capes.

Cordialmente,

Janice Caiafa

Anita Leandro

Julio Bezerra

21.1 - 50 anos de 1968

Há cinquenta anos, o ano de 1968 tornou-se emblemático por movimentos de distinta natureza que abalaram convicções e tradições  solidamente estabelecidas. Todos os regimes político-sociais - capitalistas ou socialistas, democracias ou ditaduras; em todas as grandes áreas geográficas - Américas, Europa, Ásia e África - sofreram abalos e tiveram que encarar desafios imprevistos e inquietantes. Novos movimentos sociais irromperam de forma incontornável, formulando reivindicações até então consideradas como não prioritárias ou irrelevantes. Esboçaram-se novos paradigmas de mudança social, expressos nas lutas de estudantes e mulheres pela ampliação dos direitos democráticos, na elaboração de novos direitos, identitários (negros, indígenas), na disposição de exercer livremente opções sexuais (movimentos gays) ou comportamentos considerados desviantes (experiências que ampliavam a percepção humana) ou, no limite, construir modelos alternativos de vida.

Em contraste, também foi notável a rapidez com que forças conservadoras - à direita e à esquerda - conseguiram deter e derrotar a maré montante daquelas lutas que pareciam de uma intensidade fora do comum, embora as questões suscitadas - e os movimentos que as formulavam - tenham permanecido até os dias de hoje como atuais e desafiadores.   

Os contemporâneos daqueles acontecimentos foram os primeiros a reconhecer que o mundo estava diante de  fenômenos desconcertantes e inovadores, que se estendiam para além do ano de 1968 para abarcar uma grande conjuntura, a dos anos 1960, cujos marcos precisos ainda são objeto de controvérsia.

Em seu próximo dossier, a Revista ECO-Pós deseja suscitar o debate a respeito de todas estas questões. Convidamos, assim, todos os que desejarem refletir criticamente sobre estes anos, seus marcos temporais; os movimentos sociais que então surgiram, características, alcance e limites; processos específicos em áreas determinadas; personalidades de destaque; meios de comunicação e expressão utilizados; paradigmas de mudança social;  forças políticas conservadoras que se mobilizaram em sentido contrário; legados presentes nos atuais  movimentos sociais e vida intelectual.

Que sejamos capazes de rememorar com sentido crítico aqueles anos para que melhore nossa compreensão do passado e nossa capacidade de enfrentar os desafios do tempo presente. 

Editor convidado: Daniel Aarão Reis - Universidade Federal Fluminense

Prazo para as submissões: 9 de março

 
Publicado: 2017-12-18
 

Indexadores

 
A Revista ECO-Pós está indexada em diversas bases de artigos científicos nacionais e internacionais.  
Publicado: 2014-06-10 Mais...
 
1 a 2 de 2 itens