Baby do Brasil em show histórico: A ambivalência convertida no Rock in Rio 2015

Karla Macena Patriota, Bruno Anselmo da Silva

Resumo


Além de um reencontro histórico na música popular brasileira, a apresentação da cantora Baby do Brasil com o ex-marido e guitarrista Pepeu Gomes, na 6ª edição do Rock in Rio, demonstrou-se, para nós, extremamente provocativa por pelo menos dois motivos: representar algumas das mudanças ocorridas no país nos últimos 30 anos e evidenciar certas complexidades relativas à questão da alteridade. Um acontecimento marcante na vida pessoal da artista atravessa a nossa discussão neste artigo: sua experiência de conversão religiosa. Repertório, gestual, figurino e cenografia -- por vezes ressignificando mensagens -- parecem cooperar mutuamente num evento enunciativo que expressou, dentre outras coisas, a postura ambivalente da cantora/pastora. Ambiguidade como estratégia? O discurso desta controversa e efusiva artista pode fornecer algumas pistas. 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29146/eco-pos.v22i1.3479

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.