Revista ECO-Pós

A Revista ECO-Pós está aberta a contribuições de pesquisadores da área da Comunicação e afins que estejam empenhados em compreender a vida social a partir da amplitude e da dinâmica do campo da comunicação, que vem alterando sensivelmente: as relações dos indivíduos com o espaço e o tempo; os regimes de verdade; a experiência social do real; as relações entre técnica, humanidade e cultura; os processos cognitivos e os fenômenos perceptivos; os rituais e práticas de rememoração; os regimes discursivos e os modos de subjetivação; a produção social de sentidos e as representações culturais; as configurações identitárias e os estilos de vida; as formas de sociabilidade; os modos de ativismo e participação política; os mecanismos de visibilidade, resistência e poder; as formas de comunidade e de solidariedade; as políticas públicas; os circuitos de produção, distribuição e consumo de bens culturais; as estruturas, os agentes e as regras de funcionamento do campo midiático; o estatuto da imagem; as transformações do espaço e da imagem públicos; as produções artísticas; as configurações estéticas; os sentidos do gosto; o culto, o popular, o massivo e outros sistemas de classificação cultural; os sensos estéticos, éticos e morais; os modos de regulação da vida social; as possibilidades de interações e agenciamentos políticos, afetivos e simbólicos produzidos por diferentes agentes e segmentos sociais; e os processos e fluxos que vêm permitindo a gestão da informação e do conhecimento. Em outras palavras, refletir sobre a complexa realidade atual implica na elaboração de interpretações que levem em conta as mudanças em curso e operem com os processos, tecnologias e circuitos comunicacionais que, cada vez mais, constituem-se nos alicerces do mundo contemporâneo.

Notícias

 

Chamada para o dossiê "Espaço urbano e imaginação cultural"

 

A cidade material e imaginada estão fortemente imbricadas. Nesta justaposição, as disputas sobre o futuro e o passado engendram agendas específicas de representação e ocupação do espaço urbano. Na interface material/imaginado a busca pelos sentidos da experiência urbana, lutas políticas e os imaginários sobre a cidade estão sendo reinventados por artistas, ativistas, arquitetos, planejadores urbanos, políticos e cidadãos.  

A disputa pela produção do espaço é um fator constante no movediço panorama da urbanidade. Da cidade das elites do início do século XX que emulavam os modelos parisienses pautados pelas reformas de Haussmann, aos imaginários modernistas de renovação dos anos 1920-1950, aos modelos de contracultura dos anos 1960, passando pela  expansão desregrada dos anos 1970 e a  crise de modelos dos anos 1980-90, temos uma trajetória conflitiva de experiências urbanas. Entre ideais e implementação; modelos internacionais e soluções locais; aspirações de elites e práticas populares, as cidades revelam facetas distintas de realidades urbanas disputadas.

Neste número da revista ECO-PÓS, buscamos contribuições que explorem  repertórios criativos e críticos de cidades imaginadas e reais enfocando produções de mídia, expressões artísticas, lutas políticas e ideários de ocupação do espaço público.

Editores: Beatriz Jaguaribe (UFRJ), Scott Salmon (PUC-RIO) 

Prazo para submissão de artigos: até o dia 12 de agosto de 2019.

Publicação: dezembro de 2019.

ECO-Pós é avaliada como B1 no WebQualis da Capes.

A submissão de artigos deve ser realizada na plataforma da revista: https://revistas.ufrj.br/index.php/eco_pos/index
Para o dossiê, a Revista ECO-Pós aceita somente artigos de autoria de doutores ou em coautoria com doutores. Essa exigência não se aplica a seção Resenha.

Dúvidas: ecopos.ufrj@gmail.com

 
Publicado: 2019-06-21
 

Indexadores

 
A Revista ECO-Pós está indexada em diversas bases de artigos científicos nacionais e internacionais.  
Publicado: 2014-06-10 Mais...
 
Outras notícias...

v. 22, n. 1 (2019): Os Estudos Atorais


Capa da revista

Fotografia: © Léo Lara - Festival de Tiradentes (Universo Produção)