Histórico do periódico

Metamorfoses é uma revista acadêmica da Cátedra Jorge de Sena e do Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ela tem como objetivo publicar e divulgar ensaios,  resenhas e entrevistas nas áreas das Literaturas Portuguesa, Brasileira e Africanas de língua portuguesa.

Sua fundação no ano de 2000 esteve atrelada à própria criação da Cátedra Jorge de Sena, que recebeu desde sempre o apoio incondicional da Fundação Calouste Gulbenkian, em Portugal, através da salutar intermediação daquela que seria a sua primeira Regente, a Prof.a Dra. Gilda Santos, que, aliás, esteve também na origem da fundação do primeiro centro de estudos de literatura portuguesa da Faculdade de Letras da UFRJ, o SEPESP (Seminário Permanente de Estudos Portugueses) que veio a ampliar seu projeto inicial, ao reunir todas as literaturas vernáculas no projeto da Cátedra Jorge de Sena.

O título é praticamente auto-explicável, pois funciona como uma celebração de um dos livros memoráveis de Jorge de Sena, patrono da Cátedra: a coletânea de poesia Metamorfoses, publicada em 1963, quando o multifacetado homem de letras que foi Jorge de Sena vivia ainda no Brasil.

Nesses 16 anos de existência a revista publicou 20 números com o 14.1 que neste ano vem à luz. Até o número 9 a revista era anual e possuía de amplitude mais larga (mais de 300 páginas impressas) de que constava sempre um dossiê ilustrado a cores, em papel couché, dedicado a um escritor (português, brasileiro ou de origem africana) ou uma efeméride celebrada no momento. Assim é que entre esses vários dossiês, que recebiam como rubrica Os trabalhos e os dias de..., estiveram contemplados: Sophia de Mello Breyner Andresen, Murilo Mendes, a Ilha de Moçambique, Eduardo Lourenço, Clarice Lispector, Fiama Hasse Pais Brandão, Pepetela, Machado de Assis, Jorge de Sena. Caminhando a partir do número 10 para a uma publicação semestral para atender às demandas de maior agilidade na publicação, a revista precisou abdicar das suas páginas ilustradas, mantendo, contudo, a tradição dos dossiês como o de José Craveirinha, e tornando públicos os eventos realizados no ano pela Cátedra Jorge de Sena como: Todos os caminhos vão dar a Camões, A República das Letras e a República nas Letras (na comemoração do centenário da República Portuguesa), Andanças prodigiosas da Literatura (no primeiro Congresso Internacional da CJS, dedicado ao seu patrono Jorge de Sena), os seminários sobre: o Neo-Realismo (Os trabalhos e os dias de Alves Redol. Manuel da Fonseca e Jorge Amado), Contrabandos da Cultura (sobre relações intertextuais e intersemióticas).

A partir do número 13 a revista passou a ter não apenas a versão impressa, mas também uma versão on-line que obedece a partir de então os parâmetros oficiais de formatação e indexação, mantendo-se a tradição de avaliação por consultores ad hoc, o que só garante a qualidade que a revista vem garantindo ao longo desses anos de existência.

Os próximos números da revista Metamorfoses com previsão imediata de saída são 14.1 e 14.2. Os números 15.1, 15.2, 16.1 e 16.2 já têm suas chamadas anunciadas nesta página, que agora toma seu formato oficial, esperando o acolhimento daqueles que se interessarem pelos temas anunciados.  Lembramos ainda que a revista está sempre aberta a contribuições que versem sobre a obra de Jorge de Sena e que, uma vez aceitos, serão incluídos na Seniana, seção da revista destinada a esse fim; e ainda resenhas e entrevistas igualmente bem recebidas para integrarem o corpo da revista.

Gostaríamos de deixar registrado que a inserção da Metamorfoses no registro on-line recebeu o apoio do |Programa de Letras Vernáculas da Faculdade de Letras da UFRJ que, ao lado da Fundação Calouste Gulbenkian, financiam juntos esse projeto editorial, que é certamente o coração das atividades da Cátedra Jorge de Sena e que está aberto, democraticamente, à colaboração dos estudiosos brasileiros e estrangeiros, tal como até o momento tem acontecido para o lucro da comunidade acadêmica.