Chamada de artigos para o dossiê "O antirracismo e a agenda político-acadêmica da universidade em debate"

Apresentação
A Assembleia Geral da ONU proclamou o período entre 2015 e 2024 como a Década Internacional de Afrodescendentes (Resolução 68/237) onde os Estados-membros, a sociedade civil e todos os outros atores relevantes tomem medidas eficazes para a implementação do programa de atividades antirracistas de “Reconhecimento”, “Justiça” e “Desenvolvimento”, por meio de medidas concretas e práticas, propondo e implementando políticas públicas em nível nacional e internacional, de quadros jurídicos, políticas e programas de combate ao racismo, discriminação racial, xenofobia e intolerância correlata enfrentados por afrodescendentes. No campo da educação, a referida resolução, tem um item específico “Educação sobre igualdade e conscientização” onde se objetiva “(c) Promover um maior conhecimento, reconhecimento e respeito pela cultura, história e patrimônio dos afrodescendentes, inclusive por meio pesquisa e educação, e promover a inclusão completa e precisa da história e contribuição dos afrodescendentes nos currículos educacionais” (ONU, United Nations A/RES/69/16, p. 6, tradução nossa).
Esse número temático tem por intenção promover um debate acerca dos rumos da discussão sobre o combate ao racismo no campo das políticas educacionais com especial ênfase nos currículos, na formação de professores, e nos materiais didáticos. Esperamos artigos que, a) problematizem e identifiquem os principais avanços e desafios no campo educacional do ensino superior de universidades latino-americanas e europeias, buscando refletir, dentre outros pontos, quais são as propostas políticas no campo curricular no que tange à Década Internacional, em especial nas licenciaturas; b) reflitam sobre os possíveis caminhos que possam indicar “mudanças de representação e de práticas”, problematizando os lugares de poder, a relação entre direitos e privilégios presentes em nossa cultura política e institucional; c) tratem as agendas antirracistas no sistema educacional em diversos contextos, fruto da luta dos movimentos sociais de diferentes populações racializadas, que apesar dos avanços no enfrentamento ao racismo e na luta por reconhecimento, também podem em nome da inclusão gerar aporias e limitações na luta antirracista. Neste sentido, interessa-nos refletir sobre como os processos de luta coletiva e de negociação de políticas públicas antirracistas no ensino superior têm sido implementados?
O número temático pretende visibilizar as conexões entre as experiências globais acerca do antirracismo e a agenda político-acadêmica nas universidades e as dinâmicas políticas educacionais que lançam desafios e possibilidades à luta antirracista, gostaríamos de convidar pesquisadores/as locais, regionais, nacionais e internacionais para apresentarem reflexões acerca do antirracismo no ensino superior desde uma perspectiva histórica, crítica e reparativa de educação antirracista.
Organizadoras/es
Danielle Pereira de Araújo - Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra
Marcos Antonio Batista da Silva - Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra
Dossiê elaborado no âmbito do projeto de investigação POLITICS - A política do (anti) racismo na Europa e na América Latina: produção de conhecimento, decisão política e lutas coletivas (Projeto 725402 - POLÍTICS - ERC -2016-COG), coordenado pela Dra. Silvia Rodríguez Maeso, sediado Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra. https://politics.ces.uc.pt/