PESQUISAS SOBRE EFEITO ESCOLA: UMACONTRIBUIÇÃO PARA A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

José Luiz Saldanha da Fonseca

Resumo


Este trabalho relata os avanços nas pesquisas sobre efeito escola nas últimas décadas e procura mostrar que, ao contrário do que indicava o “Relatório Coleman”, as escolas fazem, sim, diferença. Seu objetivo é mostrar que a escola brasileira pode fazer diferença, que o sucesso escolar é possível nas camadas populares e que as recentes preocupações dos meios educacionais (do Brasil em particular) com a avaliação de seus sistemas escolares aliadas ao conhecimento sobre as características das escolas eficazes podem abrir caminho para que se alcance uma escola que seja de fato boa para todos e, assim, o ideal de uma educação verdadeiramente democrática.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, M. E. F. e FERNANDES, C. “A Escola Brasileira Faz Diferença? Uma investigação dos Efeitos da Escola na Proficiência em Matemática dos alunos da 4.a In: C. FRANCO (org.), Avaliação, Ciclos e Promoção na Educação. Porto Alegre, Artmed, 2001. p.155-172.

BRESSOUX, P. “Les recherches sur les effets-écoles et les effets-maîtres”. In: J. C. FORQUIN (org.), Sociologie de l'Éducation -- nouvelles approches, nouveaux objets. Paris, INRP,2000. p.173-221.

BROOKE, Nigel e SOARES, J. F. (Orgs.). Pesquisa em Eficácia Escolar: Origem e Trajetórias. GAME/FAE/UFMG, 2007 (em edição).

COTTON, Kathleen. Effective Schooling Practices: A Research Synthesis 1995 update. Portland: NW Regional Educational Laboratory. School Improvement Research Series. 1995. Disponível em http://www.nwrel.org./scpd/sirs/

GAUTHIER, Clermont et al. Por uma Teoria da Pedagogia - Pesquisas Contemporâneas Sobre o Saber Docente. Ijuí -- RS, Editora Unijuí, 1998.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v2i4.1521

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.