Chamada para v. 16, n. 2 de 2020

Revista Linguítica, v. 16, n. 2 de 2020

Tema: Linguística Centrada no Uso

Prazo para submissão: de 15 de janeiro a 15 de março de 2020 prorrogado até 10 de abril de 2020
Publicação prevista para setembro de 2020

Organização: Roberto de Freitas Jr. (UFRJ/UERJ) e Maria Maura Cezario (UFRJ/UFRN/Capes)

O presente número contará com trabalhos que utilizam como base teórica a Linguística Funcional Norte-americana e/ou a Linguística (funcional) Centrada no Uso (LFCU). É organizado a partir das discussões que ocorreram durante o XXIV Seminário Nacional e o XI Seminário Internacional do Grupo de Estudos Discurso e Gramática, que aconteceram em novembro de 2019 na UFRJ, embora ainda sejam bem-vindas propostas de textos sobre pesquisas da área não apresentadas no seminário. A Linguística Centrada no Uso vem se expandindo e tem mostrado resultados relevantes  para o estudo de línguas particulares e para os estudos da linguagem em geral. Nessa perspectiva, a gramática é entendida como uma rede de construções linguísticas, pareamentos forma-sentido, criadas e modificadas no uso, pela atuação de vários processos cognitivos de domínio geral, tais como a categorização, a analogia e a capacidade de leitura de intenções. Ancorada nos pressupostos da Linguística Funcional Americana, da Linguística Cognitiva e da Gramática de Construções, a Linguística (Funcional) Centrada no Uso tem interesse em investigar como construções são criadas e como se relacionam dentro do constructicon, procurando dar conta da produção, do processamento e da compreensão linguística. Esperamos receber trabalhos que deem conta de um dos temas abaixo:

- Linguística (funcional) Centrada no Uso

- Gramática de Construções

- Aquisição da linguagem (L1/L2)

- Metodologias para análise de usos de construções

- Linguística Funcionalista Norte-americana

- Experimentos psicolinguísticos sobre o modelo da gramática baseada no uso.

- Contribuições da linguística cognitiva para a análise de dados

- Variação e mudança linguística à luz da visão construcionista