Caracterização no Infravermelho (IV) e Eletrônica de superfície (MEV) de membranas assimétricas à base de Poli (acrilonitrila-co-acetato de vinila)

Paulo César Faria, Airton Abrahao Martin, Nilton Pereira Alves

Resumo


As membranas assimétricas, denominadas respectivamente Mb1 e Mb2, foram obtidas por meio do método
de inversão de fases, empregando-se o copolímero Poli (acrilonitrila-co-acetato de vinila) -- P (AN-co-AV)
com composição em massa inicial de 6,5% e 8,5% de Polivinilpirrolidona (PVP). As membranas foram caracterizadas
por meio das técnicas de Espectroscopia no Infravermelho com Transformada de Fourier (IVTF)
e de Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV). Por meio da técnica de IV-TF foi possível identificar
as bandas que permitiram apontar os principais grupos funcionais presentes: i) no polímero base, ii) no copolímero
e iii) no aditivo polimérico PVP usados na fabricação das membranas. Tais bandas seriam: em 2246
cm-1, banda associada à deformação axial do grupo C≡N da unidade de acrilonitrila; em 1735 cm-1, banda
associada ao estiramento do grupo carbonila (C=O), presente no comonômero éster ou ácidos utilizados na
polimerização da Poliacrilonitrila (PAN), e em 1242 cm-1 (νC--O), banda associada aos grupos acetatos presentes
no copolímero P(AN-co-AV). As bandas fundamentais da PVP foram identificadas em 1664 cm-1 e 1293
cm-1 atribuída ao estiramento do grupo carbonila (C=O) ligado à amida e ao estiramento da ligação (-C-N)
respectivamente. Os resultados obtidos por meio da MEV apontaram para alterações estruturais na morfologia
da membrana resultantes do aumento na concentração de PVP.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.