Tratamento térmico de austêmpera em ferro fundido nodular com adições de nióbio e de cromo

Amanda Pimentel, Wilson Luiz Guesser

Resumo


O ferro nodular austemperado (ADI) é indicado para aplicações que demandam alta resistência ao desgaste
abrasivo. Uma de suas variações é o CADI (Carbidic Austempered Ductile Iron), que contém em sua microestrutura
carbonetos eutéticos livres. A adição de nióbio em ferro nodular também resulta em formação de
carbonetos, porém mais duros e estáveis do que os carbonetos presentes em CADI. Macroadições de nióbio
em ADI mostram-se promissoras. O presente trabalho estudou a influência da adição de nióbio no tratamento
de austêmpera. Cinco composições distintas, ferro nodular sem adições, ferro nodular com cromo e ferro nodular
com três adições de nióbio, foram austemperadas a duas temperaturas e cinco tempos distintos. Os valores
de teor de austenita retida foram estimados por metalografia. A adição de nióbio provocou a formação
de carbonetos primários poligonais, ao passo que a adição de cromo provocou a formação de carbonetos de
padrão dendrítico encontrados nas regiões intercelulares. Verificou-se que as adições de nióbio e, mais intensamente
a de cromo, aumentam o teor de austenita retida resultante do tratamento de austêmpera, bem como
alteram a morfologia da microestrutura ausferrítica.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.