Produção e caracterização de biossurfactantes metabolizados por Pleurotus sajor-caju a partir de óleo de soja

Endi Alves

Resumo


Este estudo teve como objetivo avaliar a produção de biossurfactantes pelo fungo basidiomiceto Pleurotus
sajor-caju CCB 019. A formação de biossurfactantes foi definida pela diminuição, ou seja, redução da tensão
superficial (RT%) do meio de cultivo no tempo inicial e do caldo após o cultivo. Para acompanhar o crescimento
micelial e a variação da tensão superficial (ΔT) do caldo de cultivo com o tempo, um biorreator de
bancada (4 L) foi usado e as menores tensões superficiais ocorreram em seis dias de cultivo (144 h) (43,4
mN/m) no experimento B1 (T = 34 ° C, pH inicial de 3, agitação de 300 min-1, aeração de 0,25 L. min-1 e
utilizando óleo de soja comercial) e 192 horas (8 dias) (40,7 mN/m) no ensaio B2 (as mesmas condições de
B1, mas usando óleo de soja residual de fritura). O índice de emulsificação para o experimento B1, em 6 dias,
foi de 66,6% e para o experimento B2, em 8 dias, foi de 65,8%. Os biosurfactantes extraídos a partir dos experimentos
B1 e B2 mostraram 12,0% À 0,5 e 10,6 À 0,6% de carboidratos, 7,4À 0,5% e 7,7 À 1,0% de proteína,
respectivamente. Na análise do espectro de FTIR, para ambos os experimentos, podem ser identificadas
bandas confirmando a presença de carboidratos e de proteínas, também sugerindo a presença de lipídeos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.