Avaliação da resistência residual de lajes alveolares em concreto armado em uma edificação industrial após incêndio

Hinoel Ehrenbring, Vinicius Ortolan, Fabricio Bolina, Fernanda Pacheco, Augusto Masiero Gil, Bernardo Fonseca Tutikian

Resumo


O concreto, durante exposição a elevadas temperaturas, caracteriza-se pela baixa difusividade térmica e incombustibilidade,
resultando em desempenho satisfatório frente ao fogo. Todavia, constatam-se transformações
químicas e físicas em seus componentes. A estabilidade do composto relaciona-se com a microestrutura,
portanto consegue-se verificar a degradação do material através de técnicas avançadas de análise microestrutural.
Neste contexto, o uso de ensaios no material, como a difratometria e fluorescência de raios X, mostrase
atraente. Neste artigo, é descrita a inspeção de laje alveolar pré-fabricada de uma edificação industrial, a
qual sofreu exposição às altas temperaturas provindas de um incêndio no subsolo da edificação. Avaliou-se o
elemento estrutural através de ensaios de caracterização química, em diferentes espessuras da laje de concreto,
estimando a temperatura alcançada em cada camada e, consequentemente, a perda de resistência do elemento
estrutural. A partir dos resultados, constatou-se a temperatura de, aproximadamente, 700 ºC na superfície
da laje e menos de 100 ºC nas camadas mais profundas. Estimou-se a redução na resistência à compressão
do concreto na ordem de 25 % na camada de 20 mm e redução praticamente desprezável na região dos
fios protendidos, atestando a segurança estrutural da estrutura após o sinistro.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.