Avaliação da resistência residual de lajes alveolares em concreto armado em uma edificação industrial após incêndio

Hinoel Ehrenbring

Resumo


O concreto, durante exposição a elevadas temperaturas, caracteriza-se pela baixa difusividade térmica e incombustibilidade,
resultando em desempenho satisfatório frente ao fogo. Todavia, constatam-se transformações
químicas e físicas em seus componentes. A estabilidade do composto relaciona-se com a microestrutura,
portanto consegue-se verificar a degradação do material através de técnicas avançadas de análise microestrutural.
Neste contexto, o uso de ensaios no material, como a difratometria e fluorescência de raios X, mostrase
atraente. Neste artigo, é descrita a inspeção de laje alveolar pré-fabricada de uma edificação industrial, a
qual sofreu exposição às altas temperaturas provindas de um incêndio no subsolo da edificação. Avaliou-se o
elemento estrutural através de ensaios de caracterização química, em diferentes espessuras da laje de concreto,
estimando a temperatura alcançada em cada camada e, consequentemente, a perda de resistência do elemento
estrutural. A partir dos resultados, constatou-se a temperatura de, aproximadamente, 700 ºC na superfície
da laje e menos de 100 ºC nas camadas mais profundas. Estimou-se a redução na resistência à compressão
do concreto na ordem de 25 % na camada de 20 mm e redução praticamente desprezável na região dos
fios protendidos, atestando a segurança estrutural da estrutura após o sinistro.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.