Avaliação do aumento da reatividade da cinza volante através do método sonoquímico

Alini Luísa Diehl Camacho, David Lamberto Diehl Camacho, Maurício Mancio

Resumo


Este trabalho teve como objetivo avaliar o aumento da reatividade da cinza volante (CV) através do método
sonoquímico combinado ao processo de sifonação da CV, a fim de separar materiais constituintes por fases,
sendo elas amorfas e cristalinas. Em seguida, foram realizados tratamentos sonoquímicos em dois tipos de
equipamentos como forma de comparação. Os materiais tratados foram caracterizados pelas técnicas de tamanho
de partícula, massa específica, área superficial, composição química e mineralógica, e por fim, moldados
conforme a norma NBR 5752:2014. O método Chapelle modificado também foi aplicado para verificar
o consumo de hidróxido de cálcio. Como estudo complementar, foram realizadas análises microestruturais da
CV antes e depois da aplicação do método sonoquímico utilizando a microscopia eletrônica de varredura. Os
resultados de resistência à compressão comprovaram que o método utilizado contribuiu para um aumento de
84 para 112,9% do índice de pozolanicidade do material associado à aplicação do ultrassom. As amostras CV
NAT, CV ULT SP e CV ULT UNI foram capazes de fixar maior quantidade de cal do que a CV SIF. Entretanto,
o índice de atividade pozolânica, por meio da hierarquização indireta indica um comportamento favorável
com a possibilidade, inclusive, de desclassificar a CV como material pozolânico, caso ela não passe por
um processo de beneficiamento. Nas imagens microestruturais verificou-se uma redução no tamanho das
partículas, causado, provavelmente pela quebra das pleosferas da CV.
Palavras-chave: Cinza volante, ultrassom, ativação sonoquímica, índice de pozolanicidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.