Estudo experimental da influência da adição de microfibras de polipropileno e da cura na dureza superficial de pisos de concreto

Janaine Maria Golfetto, Francine Padilha, Beatriz Schimelfenig, Cristina Vitorino da Silva

Resumo


As falhas de dosagem e execução de pisos de concreto, constantemente levam ao surgimento de manifestações
patológicas. Sendo assim, é indispensável o conhecimento dos fatores que influenciam o comportamento
do concreto ou alteram suas características, bem como a utilização de mão de obra de qualidade. Em vista
disso, este estudo avaliou a influência da adição de microfibras de polipropileno nos teores de 0 g/m³, 600
g/m³ e 900 g/m³ e de diferentes condições de cura (sem cura, cura úmida e cura úmida após três dias de exposição
ao ambiente) nos concretos empregados em pisos. Para tanto, foram realizados ensaios de exsudação,
resistência à compressão uniaxial e dureza superficial por esclerometria. Os resultados indicam que a utilização
das microfibras influenciou de forma significativa a exsudação e a resistência à compressão, ainda que a
dureza superficial não tenha sido afetada diretamente por este material e nem pelo tipo de cura. De maneira
geral, pode-se dizer que dentre os teores de microfibras de polipropileno avaliados, o teor de 600 g/m³ é o
mais indicado para adição no concreto, apresentando melhor desempenho nas propriedades analisadas. É
possível afirmar ainda que a cura, apesar de não ter causado influência significativa na superfície do concreto,
é um fator de extrema importância para suas propriedades de massa.
Palavras-chave: Pisos de Concreto; Manifestações Patológicas; Microfibras de Polipropileno; Cura; Dureza
Superficial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.