O problema da subjetividade na lírica de M. I. Lérmontov

Pedro Augusto Pinto

Resumo


O presente artigo pretende elucidar alguns aspectos do desenvolvimento do herói lírico na poesia de Mikhail Lérmontov (1814-1841), entendido no contexto maior da problemática romântica e da poesia russa na década de 1830. Pretende-se demonstrar, em linhas gerais, que em sua curta trajetória literária o poeta russo partiu de uma postura radicalmente individualista para concluir suas obras criticando suas posições anteriores, fosse pela ironia, fosse pela melancolia. Para tanto, apresentaremos uma breve discussão sobre a poesia de Lérmontov, sobre o papel da subjetividade no Romantismo e sobre as relações destecom o contexto histórico russo e com o contexto europeu em geral, de modo a dimensionar tanto a inserção do poeta na cultura de seu tempo quanto a ruptura que ele realizaria na última fase de sua produção. Conforme veremos, tal operação não apenas joga uma luz reveladora sobre a obra de Lérmontov, ao apontar para a sua singularidade no panorama cultural da época, como também pode contribuir para um estudo da transição entre Romantismo e Realismo e para uma compreensão histórico-comparativa da problemática do mal na obra de Fiódor Dostoiévski.


Texto completo:

PDF

Referências


BERLIN, I. Pensadores Russos. Trad. Carlos Eugênio Marcondes de Moura. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

________ Estudos sobre a humanidade. Trad. Rosaura Eichenberg. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

________ As raízes do romantismo. Trad. Isa Mara Lando. São Paulo: Três Estrelas, 2015.

BILLINGTON, J. H. The Icon and the Axe. Nova Iorque: Vintage Books, 1970.

BUSCHKOVITCH, P. História concisa da Rússia. Trad. José Ignácio Coelho Mendes Neto. São Paulo: Edipro, 2014.

CAMPOS, H. Metalinguagem e outras metas. 4ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2006.

CANDIDO, A. Estudo analítico do poema. 4ª ed. São Paulo: Humanitas, 2004.

CHAUCIAY, R. Teoria do verso. São Paulo: Ed. McGraw-Hill, 1974.

EIKHENBAUM, B. Liérmontov: Ópyt istóriko-literatúrnoi otsiénki. Leningrado: Gosudárstvennyi Izd., 1924.

________________. “Literatúrnaia Pozítsiia Liérmontova”, in O prózie, o poézii: sbórnik statiéi. Leningrado: Khudójestvennaia Literatura, 1986, pp. 94-185.

________________. “Literatúrnyi byt” in O literatúrie. Moscou: Sov. Pissátiel', 1987.

FERBER, M. (ed.). A Companion to European Romanticism. Oxford: Blackwell, 2005.

FURET, F. (org.). O homem romântico. Trad. Miguel Serras Pereira. Lisboa: ed. Presença, 1998.

GIVONE, S. “O intelectual “ in FURET, F. O homem romântico. Trad. Miguel Serras Pereira. Lisboa: ed. Presença, 1998.

GRÓSSUL, V. Rússkoie óbschestvo XVIII-XIX vekov — Tradítsii i novátsii. Moscou: Nauka, 2003.

___________. Obschéstvennoie mniénie v Rossii v XIX viekie . Moscou: AIRO-XXI, 2013.

GURIÉVITCH, A. “Probliéma nrávstvennogo ideála v lírike Liérmontova”, in Tvórtchestvo M. Iu. Liérmontova: 150 liet so dniá rojdiéniia, 1814—1964. Мoscou: Naúka, 1964.

HOBSBAWM, E. J. A era das revoluções. Trad. Maria T. Teixeira e Marcos Penchel. 25ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

LIEVEN, D. (ed.). The Cambridge History of Russia vol. II. Cambridge: Cambridge University Press, 2006.

LÓTMAN, I. Bessiédy o rússkoi kul'túrie. São Petersburgo: Isskustvo, 2006.

LOVE, J., SCHMIDT, J. “Introduction – Schelling's Treatise on Freedom and the Possibility of Theodicy” in SCHELLING, J. Philosophical Investigations Into The Essence Of Human Freedom. Trad. Jeff Love e Johannes Schmidt. Albany: State University of New York Press, 2006.

LÖWY, M.; SAYRE, R. Revolta e melancolia. São Paulo: Boitempo, 2015.

MANÚILOV, V. A (org). Liérmontovskaia Entsiklopiédia. Moscou: Soviétskaia Entsiklopiédia, 1981.

NÁIDITCH, E., “Ne vier' sebié”, in MANUILOV (org,). Liermontovskaia Entsiklopiedia. Moscou: Soviétskaia Entsiklopedia, 1981, pp. 336-337.

PAREYSON, L. Dostoiévski: filosofia, romance e experiência religiosa. Trad. Maria Helena Nery Garcez e Sylvia Mendes Carneiro. São Paulo: Edusp, 2012.

RIASANOVSKY, N. Nicholas I and the Official Nationality in Russia (1825-1855). Londres: University of California Press, 1959.

ROSENFELD, A. “Romantismo e classicismo”, in GUINSBURG, J. (org.). O romantismo. 4ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2008.

SALIBA, E. As utopias românticas. 2ª ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2003.

SAFRANSKY, R. Romantismo: uma questão alemã. Trad. Rita Rios. São Paulo: Estação Liberdade, 2010.

SCHELLING, F. Philosophische Untersuchungen über das Wesen der menschlichen Freiheit. Francoforte do Meno: Suhrkamp, 1975.

SIÉRMAN, I. Mikhail Liérmontov: jizn’ v literaturie 1836-1841. Moscou: RGGU, 2003.

TCHÍSTOVA, I. S. “Smert' Poeta” in MANÚILOV, V. A. Liermontovskaia Entsiklopiedia. Moscou: Sovietskaia Entsiklopedia, 1981, pp. 511-513.

ÚSSOK, I. E. “Obschéstvenno-istorítcheskaia problemátika v tvórtchestve Liérmontova” in MANUILOV, V. A (org). Liérmontovskaia Entsiklopiédia. Moscou: Soviétskaia Entsiklopiédia, 1981, p. 346-350.

WACHTEL, M. Introduction to Russian Poetry. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

WILLIAMS, R. Culture and Society 1780-1950. 2ª ed., Nova Iorque: Columbia University Press, 1983.

ZAKHÁROV, V. A. Lietopis’ jizni i tvortchestva M. I. Liermontova. Moscou: Russkaia Panorama, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Pedro Augusto Pinto

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

A SLOVO está indexada nos seguintes  diretórios/catálogos/bases de dados:

   

 Cabeçalho da página