O onde antes do lugar: as διαστάσεις no De incessu animalium de Aristóteles

Matheus Oliveira Damião

Resumo


Este trabalho tem por objetivo principal apresentar a exposição que Aristóteles faz das διαστάσεις no De Incessu Animalium (IA). Neste tratado elas são descritas através do exercício das funções anímicas específicas de cada grupo de ser vivo, estabelecendo uma relação de dependência entre as dimensões e as potências da alma que determinado ser vivo possui. Trata-se, portanto, em âmbitos mais gerais, de compreender como a função da alma de um ser vivo subordina sua estrutura, ou, em outras palavras, como a atualização efetiva de um ser vivo traz a tona a manifestação dessas dimensões. Além disso, há uma correspondência exata entre as dimensões e essas funções no corpo humano, estabelecendo-o, assim, como modelo a partir do qual os outros corpos podem ser descritos. Deste modo, os limites das dimensões são manifestos através das potências da alma, cujas distinções se encontram sobretudo no homem.


Palavras-chave


Aristóteles; Teleologia; Dimensões; Biologia

Texto completo:

PDF

Referências


A.GOTTHELF and J.G. LENNOX(eds) ​Philosophical issues in Aristotle's Biology. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

ANGIONI, Lucas. As noções aristotélicas de substância e essência. Campinas: Editora da Unicamp, 2008.

______________. “O hilemorfismo como modelo de explicação científica na filosofia da natureza em Aristóteles”. Kriterion, Belo Horizonte, nº 102, Dez/2000, pp. 136-164.

ARISTOTE. Traités des Parties des Animaux et de la Marche des Animaux. Traduction et notes par Barthélemy Saint-Hilaire. Paris: Hachette, 1885.

__________. Le Mouvement des Animaux suivi de La Locomotion des Animaux. Introduction, traduction et notes par Pierre-Marie Morel. Paris: GF Flammarion, 2013.

ARISTÓTELES. De Anima. Apresentação, tradução e notas de Maria Cecília Gomes Reis. São Paulo: Ed. 34, 2006.

___________. Metafísica. Tradução de Giovanni Reale. Vol. II. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

___________. Física I & II. Tradução, introdução e notas Lucas Angioni. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

ARISTOTLE. “Ethica Eudemia”. In: The Complete Works of Aristotle. Trad. J. Solomon. The Revised Oxford Translation. Ed. Jonathan Barnes. Princeton: Princeton University Press, 1984.

_________. On the Gait of Animals. Translated by A. S. L. Farquharson, Oxford, 1912.

_________ Progressions of animals. Translated by A. L. Peck and E. S. Forster. Loeb classical library. Cambridge, MA: Harvard University Press.

BARTHÉLÉMY-SAINT HILAIRE, Jules. Traités des parties des animaux et de la marche des animaux. 2 vol. Paris: Hachette, 1885.

CARBONE, Andrea L. Aristote Illustré: Représentations du corps et schématisation dans la biologie aristotélicienne. Paris: Classiques Garnier, 2011.

_________. “The Axes of Symmetry. Morphology in Aristotle's Biology”. APEIRON, 49 (1), 2016, pp. 1--31.

CHEN, Chung-Hwan. “The Relation between the Terms á¼Î½Î­Ïγεια and á¼Î½Ï„ελέχεια in the Philosophy of Aristotle”. The Classical Quarterly, New Series, vol. 8, n. 1/2 (May, 1958), pp. 12-17.

JOHNSON, M. R. Aristotle on Teleology. Oxford, 2008.

NUSSBAUM, Martha C. Aristotle's De Motu Animalium. Princeton University Press, 1985.

LENNOX, J. “De caelo and Its Debt to the De incessu animalium”. In: BOWEN, A. and WILDBERG, C. (eds.). New Perspective on Aristotle's De caelo. Leiden: Brill, 2009, pp. 187- 214.

LEAR, Jonathan. “Aristotle's Philosophy of Mathematics”. The Philosophical Review, vol. 91, n. 2. (Apr., 1982), pp. 161-192.

LONG, Christopher P. “Aristotle's Phenomenology of Form: The Shape of Beings that Become”. Epoché, vol. 11, n. 2 (Spring 2007), pp. 435-448.




DOI: https://doi.org/10.25187/codex.v5i2.14328

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Matheus Oliveira Damião

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.