A morte de Nero em Suetônio

Anderson de Araujo Martins Esteves

Resumo


Na Antiguidade, entendia-se a morte de um indivíduo como uma imagem de sua vida, isto é, como uma ocasião privilegiada para se avaliarem suas ações e seu caráter. No gênero biográfico, a morte assume uma importância capital, já que permite compreender a natureza da personagem. Assim, em atenção às regras do gênero, Suetônio insere, sistematicamente, narrativas de morte em suas uitæ. Neste artigo, ocupamo-nos do relato da morte de Nero, apresentado nos capítulos 47-9 da Vita Neronis. Com o objetivo de pôr em relevo as características intrínsecas a Nero que mais avultam na passagem, traduzimos e comentamos esses capítulos, atentando para a correlação entre o trecho e o todo da obra. Para compreender melhor as especificidades do gênero biográfico, comparamos a narrativa de Suetônio a um trecho de Díon Cássio com conteúdo análogo. Ao final de nossos esforços, identificamos as principais características retratadas na passagem: fraqueza, pendor artístico, crueldade e luxúria.




DOI: https://doi.org/10.17074/cpc.v1i26.7028

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Calíope: Presença Clássica