Olímpica 9: louvação a Efarmosto e o mito do dilúvio

Glória Braga Onelley

Resumo


Píndaro (518-438 a.C.), poeta que se notabilizou como cultor de epinícios -- cantos triunfais compostos, em geral, em honra dos vencedores das principais competições pan-helênicas --, celebrou na ode Olímpica 9, composta em 466 a.C., a vitória de Efarmosto de Opunte, na luta, por ocasião da 78a Olimpíada realizada em 468 a.C.
Nessa ode, privilegia-se o mito do dilúvio, cujos protagonistas são Deucalião e Pirra, ancestrais míticos dos Lócrios de Opunte, cidade do laureado. Esse epinício foi cantado durante o cortejo processional que se dirigiu ao santuário de Ájax, herói cultuado em Opunte.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.17074/cpc.v2i30.7450

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Calíope: Presença Clássica