Agón como geração e crescimento

Gilvan Luiz Fogel

Resumo


Agón, entendido grosso modo como luta, combate (pólemos, éris) será
caracterizado, inicialmente, sem nenhuma conotação de ordem política, social ou moral, mas, sim, desde o ponto de vista vitalexistencial ou ontológico. Luta, combate, entendida(o) como uma confrontação regida por transcendência, isto é, a abertura vida/ existência, que se definirá como relação arcaico/originária. A natureza ou o modo de ser de relação será esclarecido e tal relação mostrar-se-
á em si e por si como uma tensão, que é luta de contrários, de opostos.
Esta luta é geradora e promovedora de identidade ou de próprio (e não destruição, aniquilação), isto é, de essência. A esta geração essencial chamar-se-á também crescimento, no sentido de agravamento, intensificação vital -- vida ascendente ou nobre, aristocrática. Nisso e assim harmonia. E é isso mesmo o protofenômeno vida, entendida como existência humana e nada, inicialmente, de cunho biológico ou biogenético.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.17074/cpc.v2i30.7452

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Calíope: Presença Clássica