Dido, “O amor dele”

Amós Coêlho da Silva

Resumo


Abordamos Dido, rainha de Cartago, uma personagem lendária dos fenícios, da qual Vergílio se apropria e cria um conto de amor entre ela e Eneias, mas acaba em tragédia. Em Petrônio, nova apropriação, mas agora o seu resgate, numa trajetória que vai desde uma sala de velório à felicidade: uma nova união com um soldado, vigia de cemitério. A novela da matrona de Éfeso exprime o ceticismo a respeito das fraquezas da carne e tornou-se um clássico da literatura latina. A literatura em perspectiva comparada é a inevitabilidade intertextual: ambos cadenciaram as descrições retirando fragmentos de outros mundos. São intertextos, que a teoria dará o nome de alusão ou paródia.




DOI: https://doi.org/10.17074/cpc.v1i31.7656

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Calíope: Presença Clássica