Políticas públicas e outra perspectiva de avaliação: uma abordagem antropológica

Alcides Fernando Gussi, Breynner Ricardo de Oliveira

Resumo


Este artigo problematiza outros enfoques de avaliação para a compreensão das políticas públicas em diferentes contextos culturais, sociais e econômicos a partir da construção de parâmetros de avaliação distintos daqueles indicados pelo modelo técnico-formal de avaliação. Propõe-se uma ruptura com essa visão ortodoxa ao assumir que a avaliação de políticas públicas desconsidera os atores sociais envolvidos nas políticas, suas agendas e interesses, tornando- os invisíveis. Ao introduzir o conceito de trajetória, base para a construção de uma avaliação sob a abordagem antropológica, outro paradigma avaliativo emerge, configurando-se como um ethos epistemológico mais estruturado e crítico, alargando as bases conceituais e metodológicas.


Palavras-chave


Avaliação; Políticas Públicas; Metodologia em Avaliação; Epistemologia

Texto completo:

PDF

Referências


BANCO MUNDIAL. Monitorização & Avaliação. Algumas ferramentas, métodos e abordagens. Washington, D.C., 2004.

BAUMAN, ZIGMUND. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BOURDIEU, P. Sobre o Estado. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

BOURDIEU, PIERRA. A ilusão biográfica. In: AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta de Moares (org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996, p. 183-191.

BRESSER-PEREIRA, LUÍS CARLOS. Da administração pública burocrática à gerencial. In: BRESSER-PEREIRA, Luís Carlos; SPINK, Peter. (Org) Reforma do Estado e administração pública gerencial. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 1998, p. 141-172.

CARDOSO DE OLIVEIRA, ROBERTO. O trabalho do antropólogo: olhar, ouvir, escrever. Revista de Antropologia. São Paulo: USP, v. 39, n. 1, 1996.

CARVALHO, ALBA MARIA PINHO; GUSSI, ALCIDES FERNANDO. In: Perspectivas

contemporâneas em Avaliação de Políticas Públicas. Seminário “Avaliação de Políticas Públicas em Tempos Contemporâneos”. Mestrado em Avaliação de Políticas Públicas. Fortaleza: UFC, 2011 (inédito).

CROZIER, MICHEL. O fenômeno burocrático: ensaio sobre as tendências burocráticas dos sistemas de organização modernos e suas relações na França, com o sistema social e cultural. Brasília, DF: Universidade de Brasília, 1981.

DIMAGGIO, P.; POWELL, W. The Iron Cage Revisited: Institutional Isomorphism and Collective Rationality in Organizational Fields. American Sociological Review, v. 48, n. 2, apr., 1983.

DOWNS, ANTHONY. Inside bureaucracy. Boston: Little, Brown, 1966.

DOWNS, ANTHONY. Uma teoria econômica da democracia. São Paulo: EDUSP, 1999.

GEERTZ, CLIFORD. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara, 1989.

GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. São Paulo: Vozes, 2002.

GONÇALVES, ALÍCIA FERREIRA. Políticas Públicas, etnografia e a construção dos indicadores socioculturais. Aval – Revista de Avaliação de Políticas Públicas. UFC, número 1, p. 17-28, 2008.

GUSSI, ALCIDES FERNANDO. Apontamentos teórico-metodológicos para avaliação de programas de microcrédito. Aval – Revista de Avaliação de Políticas Públicas. UFC, número 1, p. 29-37, 2008.

_____. Pedagogias da experiência no mundo do trabalho: narrativas biográficas no contexto de mudanças de um banco público estadual. 2005. 356 f. Tese (Doutorado), Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

HARRIS, J.; EVANS, T. Street-Level Bureaucracy, Social Work and the (Exaggerated) Death of Discretion. British Journal of Social Work. n. 34, p. 871-895, 2004.

HILL, MICHAEL. The Policy process in the Modern State. Third Edition.Prentice Hall, 1997.

LASWELL, H. D. Politics: Who Gets What, When, How. Cleveland, MeridianBooks.1936/1958.

LEJANO, RAUL P. Parâmetros para análise de políticas públicas: a fusão de texto e contexto. Campinas: Editora Arte Escrita, 2011.

LIPSKY, M. Street-level bureaucracy: dilemmas of the individual in public services. Nova York: Russell Sage Foundation, 1980.

MERTON, R. K. Estrutura burocrática e personalidade.In: CAMPOS, E. org. e trad. A Sociologia da Burocracia. 4. ed. Rio de Janeiro: Zahar. 1978, p.78-102.

MUSGRAVE, RICHARD ABEL; MUSGRAVE, PEGGY B. Finanças públicas: teoria e pratica. Rio de Janeiro: São Paulo: 1980.

MUSHENO, M.; MOODY, M. S. Cops, Teachers, Counselors- Stories from the front Lines of Public Service. Michigan: The Universityof Michigan Press, 2003.

OLIVEIRA, B. Gestão de políticas públicas regionais e locais. Ouro Preto: Universidade Federal de Ouro Preto, 2010.

OLIVEIRA, C. O Servidor público brasileiro: uma tipologia da burocracia. Revista do Serviço Público: vol. 58, n. 3, jul/set 2007.

PERROW, C. Análise Organizacional- Um Enfoque Sociológico. São Paulo: Atlas, 1981.

PERROW, C. Complex organizations: a critical essay. 3 ed. New York: Randomouse, 1986.

RODRIGUES, LEA CARVALHO. Propostas para uma avaliação em profundidade de políticas públicas sociais. Aval – Revista de Avaliação de Políticas Públicas. UFC, número 1, p. 7-15, 2008.

. Avaliação de Políticas Públicas no Brasil: antecedentes, cenário atual e perspectivas. In: PRADO, Edna Cristina; DIÓGENES, Elione Maria Nogueira (org.) Avaliação de Políticas Públicas: entre Educação & Gestão Escolar. Maceió/AL, EDFAL, p. 37-55, 2011.

SANTOS, BOAVENTURA DE SOUSA e AVRITZER, LEONARDO. Introdução: para ampliar o cânone democrático. BOAVENTURA de Sousa Santos (Org). Democratizar a Democracia: os caminhos da democracia participativa. Porto: EdiçõesAfrontamento, 2003, p.39 a 69.

SELZNICK, PHILIP. TVA and the grass roots: a study in the sociology of formal organization. New York: Harper &Row, 1966.

SILVA E SILVA, MARIA OZANIRA DA. Avaliação de políticas e programas sociais: uma reflexão sobre o conteúdo teórico e metodológico da pesquisa avaliativa. SILVA, Maria Ozanira (Org). Pesquisa avaliativa: aspectos teórico-metodológicos. São Paulo: Veras Editora: São Luis: GAEPP, 2008, p. 89-177.

TOLLISON, ROBERT D.; CONGLETON, ROGER D. (Ed.). The economic analysis of rent seeking. Aldershoot: Edward Elgar Publishing Ltd, 1988.

TULLOCK, GORDON. Toward a mathematics of politics. Ann Arbor: University of Michigan, 1967.

VARIAN, HAL R. Microeconomia: princípios básicos. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

WEBER, M. Burocracia. In: GERTH, H. H. & WRIGHT MILLS, C. (orgs.). Ensaios de Sociologia. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1982, p.212-265.

WILSON, JAMES Q. Bureaucracy: what government agencies do and why they do it. United States: Basic Books,1989.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.