Variedades de Capitalismo e os caminhos da Política Industrial Brasileira – elementos para uma análise comparativa

Ignacio Godinho Delgado

Resumo


O artigo vale-se da noção de variedades de capitalismo como um recurso heurístico para identificação dos ambientes institucionais que circunscrevem as políticas industriais e o comportamento das empresas em determinados casos nacionais: Brasil, EUA, Alemanha e Coréia do Sul. Ele procura identificar o que há de convergente e os aspectos singulares dos padrões de políticas industriais prevalecentes nestes países desde o final do século passado, apontando sugestões de caráter geral sobre as medidas mais adequadas ao ambiente brasileiro.


Palavras-chave


Variedades de capitalismo; Ambiente institucional; política industrial e de inovação

Texto completo:

PDF

Referências


ABELSHAUSER, W. (2005) The dynamics of German Industry: Germany´s path toward the new economy and the American challenge. New York and Oxford: Berghahn Books.Acesso em: 02/06/2009.

ALDRIGHI, Dante Mendes. (JUL/SET 2003). The Mechanisms of Corporate Governance in the United States: An Assessment. RBE. Rio de Janeiro 57(3):469-513.

ARRIGHI, G. (1997). A Ilusão do Desenvolvimento. 2 ed. Petrópolis: Vozes.

CASTRO, A. B. “A Rica fauna da Política Industrial e a sua Nova Fronteira”. In: Revista Brasileira de Inovação.2002. Vol. 1. Nº 2.

CHANG, H. The Political Economy of Industrial Policy. London: Macmillan Press, 1994.

CHO, Dong-Sung; KIM, Jootae. (2007). Outside Directors, Ownership Structure and Firm Profitability in Korea. Disponível em http://www3.interscience.wiley.

com/cgi-bin/fulltext/117967270/PDFSTART Acesso em: maio de 2009

CHOONG-YONG, A. (setembro/outubro 2008) Reformas Políticas e Econômicas na Coréia. Tradução de Gilmar Masiero e Juliana Simonishi. Disponível em http://www.asiayargentina.com/usp-07.htm. Acesso em 02/06/2009.

CLARK, Paul, DELANEY, John Thomas & FROST, Ann Christine. (2002).Collective Bargaining:In the Private Sector. Chicago: Industrial relations Research Association.

DELGADO, I. G. (2005) Empresariado e política industrial no governo Lula. In: PAULA, João Antônio (Org.). Adeus ao Desenvolvimento: a opção do Governo Lula. Belo Horizonte: Autêntica.

DELGADO, I. G., CONDÉ, E. S., ESTHER, A. B., SALLES, H. S Estado, Inserção Internacional e Variedades de Capitalismo: elementos para a análise dos capitalismos reais. Paper apresentado no Seminário Internacional INCT-PPED - Promovendo Respostas à Globalização. Rio de Janeiro. INCT- PPED/IE-UFRJ. Disponível em http://www.ideiad.com.br/seminariointernacional/arquivo6.pdf

DELGADO, I. G, CONDÉ, E. S., ESTHER, A. B., SALLES, H. S. (2009a) Modelos Econômicos de

Capitalismo: análise comparativa dos ambientes institucionais de negócios nos EUA, Alemanha, Coréia do Sul, Espanha, Argentina, México e Brasil. Relatório Parcial (Produto 2) do Projeto Estudo comparativo de política industrial: as trajetórias do Brasil, Argentina, México, Coréia do Sul, EUA, Espanha e Alemanha. ABDI-FUNDEP. Disponível em

DELGADO, I. G, CONDÉ, E. S., ESTHER, A. B., SALLES, H. S. (2009b) Política Industrial: objetivos e instrumentos. Relatório Parcial (Produto 4) do Projeto Estudo comparativo de política industrial: as trajetórias do Brasil, Argentina, México, Coréia do Sul, EUA, Espanha e Alemanha. ABDI-FUNDEP.

DELGADO, I. G, CONDÉ, E. S., ESTHER, A. B., SALLES, H. S. (2009b) A Política Industrial Brasileira Para Setores Selecionados e a Experiência Internacional. Relatório Parcial (Produto 5) do Projeto Estudo comparativo de política industrial: as trajetórias do Brasil, Argentina, México, Coréia do Sul, EUA, Espanha e Alemanha. ABDI-FUNDEP

DELGADO, I. G. (1997). A Estratégia de um Revés – Estado e Associações Empresariais em Minas, Juiz de Fora, EDUFJF.

DELGADO, I. G. (2009) Varieties of Capitalism and Industrial Politics: The Brazilian Case in a Comparative Perspective. Paper encaminhado ao 21st World Congress of Political Science - International Political Science Association (IPSA), 2009, Santiago-Chile. Disponível em http:// paperroom.ipsa.org/papers/paper_3135.pdf

DHAL, Robert. (1968). Pluralist Democracy in the United States : Conflict and Consent. Chicago: Rand McNally & Company.

DINIZ, E. & BOSCHI, R. (1979) Autonomia e dependência na representação dos interesses industriais. In: Dados. Nº 22.

DINIZ, E. & BOSCHI, R. Um Novo Empresariado? Balanço de tendências recentes. In: DINIZ, E. & BOSCHI, R. (1993). Empresários e Modernização econômica : Brasil Anos 90. Florianópolis: Editora da UFSC/IDACON

DUBOFSKY, Melvin & DULLES, Foster. (2004). Labor in America: A History. Chicago: Harlan Davidson.

EBBINGHAUS, B. & VISSER, J. (2000) Trade Unions in Western Europe since 1945. London: Macmillan . FONTES FILHO, Joaquim Rubens. PICOLIN, Lidice Meireles. (nov./dez. 2008). Governança

GEROLOMANO, Mateus Cecílio et al. (maio-ago 2008). Clusters e redes de cooperação de pequenas e médias empresas: observatório europeu, caso alemão e contribuições ao caso brasileiro. Gest. Prod., São Carlos, v. 15, n. 2, p. 351-365.

GOUREVITCH, P. (1986). Politics in Hard Times. Cornell University Press.

GOUREVITCH, P. e SHINN, J. (2005). Political Power & Corporate Control: the new global politics of corporate governance. Princeton and Oxford: Princeton University Press.

GRAHAM, E. M. (2003). Reforming korea‘s, Industrial Conglomerates. Institute for Internacional Economics,Washington.

GUIMARÃES, Alexandre Queiroz (2007b). Estado e economia na Coréia do Sul – do estado desenvolvimentista a crise asiática e a recuperação posterior. Disponível em . Acesso em 27/07/2009

GUIMARÃES, Alexandre Queiroz. (2006), O capitalismo coordenado alemão: do boom do pós- guerra à Agenda 2010. Lua Nova. São Paulo, 66: 23-56. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ ln/n66/29083.pdf. Acesso em 23/04/09.

GUIMARÃES, Alexandre Queiroz. (2007a), Modelos de capitalismo e Economia Política Comparada: Instituições, Performance e as Respostas Alemã e Japonesa aos Desafios Recentes. Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, Vol. 50, n.1.pp. 159 a 188. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/dados/ v50n1/a06v50n1.pdf. Acesso em 23/04/09.

HAGGARD,S.;LIM,W.;KIM,E. (2003). Economic Crisis and Corporate Restructuring in Korea: Reforming the Chaebol. Cambridge: Cambridge University Press.

HALL, P. & SOSKICE, D. (2001) Varieties of Capitalism. Oxford University Press.

HALL, P.(September 1, 2007). The Evolution of Capitalism in Europe. For Presentation at the Annual Meeting of the American Political Science Association. Chicago, Illinois.

HANCKÉ, B. RHODES, M. & THATHCHER, M. (2007) “Introduction: Beyond Varieties of Capitalism”. In: HANCKÉ, B. RHODES, M. & THATHCHER, M. (2007) Beyond Varieties of Capitalism: Conflict, Contradictions, and Complementarities in the European Economy. Oxford University Press.

ITIRO, Andrea. (2003). Flexibilização dos mercados de trabalho: um panorama do debate internacional. Pesquisa & Debate. São Paulo/Brasil, v. 14, n. 1, p. 60-70.

JACKSON, G. & DEEG, R. (2006) “ How many varieties of capitalism” In: Discussion Paper 06/2 .

Max Planck- Institut für Gesellschaftsforschung Köln. Cologne, Germany. (www.mpifg.de)

JACKSON, G. & DEEG, R. (2006) “How many varieties of capitalism” In: Discussion Paper 06/2 .

Max Planck- Institut für Gesellschaftsforschung Köln. Cologne, Germany. (www.mpifg.de)

JENKINS-SMITH, H.& SEBASTIER, P. “The Advocay Coalition Framework: assessment, revisions anda implications for scholars and practioners. In: JENKINS-SMITH, H.& SEBASTIER, P (eds) Policy Change and Learning: an Advocacy Coalitions Aproach. Boulder: Westwiew, 1993.

KIM, L. (2005). Da Imitação à Inovação – A Dinâmica do Aprendizado tecnológico na Coréia. Campinas: Editora da UNICAMP.

KITSCHELT, H., LANGE, P. MARKS, G. & STEPHENS, J. (1999). Continuity and Change in

Contemporary Capitalism. Cambridge University Press.

KUCKULENTZ, Anja. (2007).Studies on Continuing Vocational Training in Germany:An Empirical Assessment. Mannheim: Zew Economic Studies.

LEAL, Maria José e CAMURI, Walter César. (2008). A governança corporativa e os modelos mundialmente praticados. Revista de Ciências Gerenciais, v. XII, n.15.

LEHMBRUCH, G . & SCHMITTER, P. (1982). Patterns of Corporatist Policy-Making. London: Sage Publications .

LEOPOLDI, M. A. (2000). Política e Interesses. São Paulo: Paz e Terra.

LOBO, V. (2005), Os Elos e os Nós: movimento sindical, (des)mercantilização e os excluídos do mercado formal de trabalho no Brasil. Rio de Janeiro – RJ. Tese de Doutorado. IUPERJ.

MANCUSO, W. P. (2004). “O Lobby da Indústria no Congresso Nacional: Empresariado e Política no Brasil Contemporâneo”. Dados - Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 47, n. 3, p. 505- 547, 2004.

NOVAES, Ana. (dezembro/2004). Mercado de Capitais: Lições da Experiência Internacional. Rio de Janeiro.. Disponível em: http://iepecdg.com/DISK%201/Arquivos/Papers/ LicoesdaExperienciaInternacional-AnaNovaes.pdf. Acesso em: 30/03/09

OFFE, C. & RONGE, V. (1984). Teses sobre a fundamentação do conceito de Estado Capitalista e sobre a pesquisa política de orientação materialista. In: OFFE, C. Problemas Estruturais do Estado capitalista. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

POLANYI, K. (1980) A Grande Transformação. Rio de Janeiro: Campus.

RABELO, Flávio. SILVEIRA, José Maria da. (jul. 1999). Estruturas de governança e governança corporativa: avançando na direção da integração entre as dimensões competitivas e financeiras. Texto para Discussão. IE/UNICAMP. n. 77.

RAMOS, Sérgio Motejunas. (2008). A economia política e os contratos coletivos de trabalho nos EUA, México e Brasil: aspectos comparativos. São Paulo. Tese em História. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Disponível em http://www.teses.usp.br/teses/ disponiveis/8/8137/tde-11092008-161454/. Acesso em 02/06/2009.

ROCHA, J. C. D. (jan. 2007). Direito do Trabalho nos Estados Unidos: Considerações sobre as Bases do Sistema Norte Americano. Revista Jurídica. Disponível em: http://www.facs.br/revistajuridica/ edicao_janeiro2007/convidados/con3.doc. Acesso em: 05/2009.

SANTOS, Luiz Alberto (2008). Regulamentação das Atividades de Lobby e seu Impacto Sobre as Relações Entre Políticos, Burocratas e Grupos de Interesse no Ciclo de Políticas Públicas: Análise Comparativa dos Estados Unidos e Brasil. Disponível em

SCHMITD, V. (2006). Bringing the State Back into The Varieties of Capitalism and Discourse into the Explanation of Change. Panel 7-5 Explaining institutional change in different varieties of capitalism. In: Annual Meetings of the American Political Science Association. Philadelphia.

SCHMITTER, P. & STREECK, W.(1999) “The Organization of Business Interests: Studying the Associative Action of Business in Advanced Industrial Societies”. In : MPIfG – Discussion Papers. Nº 99/1. Germany: Max-Planck-Institut für Gesellschaftsforschung. Disponível em Acesso em 10/09/2009.

SCHNEIDER, B. (2008), Comparing Capitalisms: Liberal, Coordinated, Network and Hierarchical Varieties

(mimeo).

SROUR, Gabriel. (2005). Práticas diferenciadas de governança corporativa: um estudo sobre a conduta e a performance das firmas brasileiras. Rev. Bras. Econ. [online]. vol.59, n.4, pp. 635-674. ISSN 0034-7140. Acesso em 03/05/09.

SUZIGAN, W. & FURTADO, J Política Industrial e Desenvolvimento, in, PAULA, J. A. Adeus ao Desenvolvimento: a opção do governo Lula, BH, Autêntica, 2005.

TIRONI, Luís F. & CRUZ, Bruno de O. Inovação Incremental ou Radical: Há motivos para diferenciar? Uma abordagem com dados da PINTEC. Texto para Discussão Nº 1360. Brasília: IPEA.

VERMA, A. KOCHAN, T. & LANSBURY,R. (1995). Employment Relations in the Growning Asian Economies. New York, Routledge.

VIANNA, L. W. (1976). Liberalismo e Sindicato no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Documentos de Governo e de Agências Multilaterais

BRASIL - MDICE (2004). Diretrizes de Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. Disponível em: www.desenvolvimento.gov.br/arquivo/sdp/polIndustrial/MedidasPoIndus-livreto.pdf>. Acesso em 07/07/2005.

BRASIL - MDICE (2005) Acompanhamento da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. Disponível em Acesso em 03/06/2005.

BRASIL – MICT (1996) Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior – Reestruturação e Expansão Competitivas do Sistema Industrial Brasileiro.

BRASIL-ABDI (2008) Política de Desenvolvimento Produtivo. Brasília: ABDI.Disponível em Acesso em 20/10/2009.

GERMANY Federal Ministry of Education and Research. New Impetus for Innovation and Growth - The Six Billion Euro Programme for Research and Development. Disponível em: . Acesso em 28/10/2009.

GERMANY, BMWI. German Business Portal. Nanotechnology - Small Parts in a Giant Market. Disponível em:

GERMANY. Annual Economic Report 2008. Disponível em: .

Acesso em 28/10/2009.

GERMANY. BMWI. Annual Economic Report 2008 - staying on course. Disponível em: http:// www.bmwi.de/English/Redaktion/Pdf/annual-economic-report- 2008,property=pdf,bereich=bmwi,sprache=en,rwb=true.pdf. Acesso em 03/12/2009.

GERMANY. BMWI. Annual Economic Report 2008 - staying on course. Disponível em: http:// www.bmwi.de/English/Redaktion/Pdf/annual-economic-report- 2008,property=pdf,bereich=bmwi,sprache=en,rwb=true.pdf. Acesso em 27/11/2009.

GERMANY. BMWI. Anual Economic Report 2007. Disponível em: . Acesso 28/11/2009

GERMANY. BMWI. German Business Portal. Biotechnology - From Start-up to Grown-Up - Biotech ‘’Made in Germany’’ Comes of Age. Disponível em: http://www.german-business-portal.info/GBP/ Navigation/en/business-location,did=221230.html. Acesso 12/12/2009.

GERMANY. Federal Ministry of Economics and Technology. German technology policy: international activities and priorities. Disponível em: . Acesso em 25/10/2009.

GERMANY. Futuro de Tecnologias para Pequenas e Médias Empresas (ZUTECH), Disponível em http:// www.aif.de/igf/zutech1.php. Acesso em 10/11/2009; OECD (2002).

GERMANY. The Federal Government. Materials Innovation for Industry and Society. Disponível em:

. Acesso em 03/12/2009; GERMANY. German Business Portal. The Machinery and Equipment Industry in Germany - Industry Overview. Disponível em: . Acesso em 03/ 12/2009.

GERMANY. The German Business Portal. The automotive industry in Germany. Disponível em: http:// www.german-business-portal.info/GBP/Redaktion/en/PDF/automotive-industry-in-germany-invest-in- germany,property=pdf,bereich=gbp,sprache=

en,rwb=true.pdf. Acesso em 03/12/2009.

GERMANY.Federal Ministry of Economics and Technology. Industrial Policy. Disponível em: . Acesso em 10/10/2009.

GERMANY.Federal Ministry of Economics and Technology. Technology Policy. Disponível em: . Acesso em 10/10/2009.

GERMANY.Federal Ministry of Economics and Technology.An innovation-friendly environment. Disponível em: . Acesso em out/2009. http://www.german-business-portal.info/GBP/Navigation/en/ business-location,did=232062.html. Acesso em 02/12/09.

INTERNATIONAL ENERGY AGENCY. .Energy Policies of IEA Countries – The Republic of Republic of Korea Disponível em . Acesso em 08 de dezembro de 2009.

OECD (1999). STI Outlook 1999 – Country Responses To Policy Questionnaire. Disponível em p.5. Acesso em 20/10/2009).

OECD (2000). STI Outlook 2000: National Policies – Germany. Disponível em . Acesso em 25/10/2009.

OECD (2002) STI Outlook 2002 - Country Responose To Policy Questionnaire – USA. Disponível em

. pp. 4. Acesso em 21/10/2009

OECD Directorate for Science, Technology and Industry: STI Outlook 2002: National Policies. REPUBLIC OF KOREA Disponível em: .

Acesso em 20/10/2009;

OECD Directorate for Science, Technology and Industry: STI Outlook 2004: National Policies. Republic of Korea Disponível em: .

Acesso em 20/10/2009.

OECD STI Outlook 2006 – Policy Questionnaire – Germany. Disponível em: . Acesso em 25/11/2009.

OECD. STI Outlook 2002 – Country Response to Policy Questionnaire - Republic of Korea

OECD. (2003b). Relatório Oficial sobre Governança corporativa na América Latina.

OECD. (2008). Science and Innovation: Country Notes – Germany. Disponível em: . Acesso em 25/10/2009.

OECD. Directorate for Science, Technology and Industry: STI Outlook. 2000: National Policies.Kore.2000. Disponível em: . Acesso em 20/10/2009

OECD. Science, Technology and Industry Outlook 2004 - Country Response to Policy Questionnaire - Republic of Korea. Disponível em .

OECD. STI Outlook 2002 – Country Response to Policy Questionnaire – Germany. Disponível em:

. Acesso em: 25/10/2009; OECD (2004).

OECD. STI Outlook 2004 – Country Response to Policy Questionnaire – Germany. Disponível em:

. Acesso em 25/10/2009.

ORGANIZATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT - OECD. (2003 a) White

Paper on Corporate Governance in Asia.

REPUBLIC OF KOREA - Ministry of Knowledge Economy. Pharmaceutical/BT 2008: Overview of Republic of Korea’s Industries - Pharmaceutical/BT 2008 Invest REPUBLIC OF KOREA Published in October 2008. Disponível a partir de . Acesso em 08 de dezembro de 2009.

REPUBLIC OF KOREA. Auto Parts 2008: Overview of Republic of Korea’s Industries - Auto Parts 2008 Invest REPUBLIC OF KOREA, Published in October 2008”. Disponível em http://www.mke.go.kr/ language/eng/invest/publications.jsp >. Acesso em 08 de dezembro de 2009.

REPUBLIC OF KOREA. Information and Communications 2008: Overview of Republic of Korea’s Industries - Information and Communications 2008 Invest REPUBLIC OF KOREA Published in October

Disponível a partir de .Acesso em 08 de dezembro de 2009.

REPUBLIC OF KOREA. Ministry for Health, Welfare and Family Affairs. Outline of the heath care industries. Disponível em . Acesso em 08 de dezembro de 2009.

REPUBLIC OF KOREA. Ministry of Knowledge Economy Aerospace 2008: Overview of Republic of Korea’s Industries - Aerospace 2008 Invest REPUBLIC OF KOREA

Published in October 2008. Disponível a partir de . Acesso em 08 de dezembro de 2009.

REPUBLIC OF KOREA. Ministry of Land, Transport and Maritime Affairs. Ship Investment Company.

Disponível em . Acesso em 08 de dezembro de 2009.

REPUBLIC OF KOREA. Ministry of National Defense. Defense Plane - Outline. Disponível em .

Acesso em 08 de dezembro de 2009

REPUBLIC OF KOREA. Vision 2030' calls for active overseas energy development. Disponível em

< http://www.Republic of Korea.net/News/News/NewsView.asp?serial_no=20061130033>. Acesso em 08 de dezembro de 2009.

UNITED NATIONS. A visão de longo prazo para ciência e tecnologia para 2025. Disponível em

Acesso em 20/11/2009.

USA (2004) Project BioShild . Disponível em . Acesso em 08 de dezembro de 2009

USA. (2006) National Aeronautics Research and Development Policy. . Acesso em 08 de dezembro de 2009

USA. “FutureGen Clean Coal Project”, ver . Acesso em 08 de dezembro de 2009.

USA. Advanced Energy Initiative. Disponível em . Acesso em 08 de dezembro de 2009

USA. NITRD. (2007) Federal High End Computing Update High. Disponível em . Acesso em 08 de dezembro de 2009

USA. NITRD. (2008) Interagency Working Group on High End Computing. Disponível em . Acesso em 08 de dezembro de 2009

USA. Office of Science and Technology Policy. Executive Office of the President. Hydrogen Fuel Initiative. Disponível em . Acesso em 08 de dezembro de 2009.

USA. Office of Science and Technology Policy. Executive Office of the President. Advanced Energy Initiative – Research and development in the President’s 2009 Budget. Disponível em . Acesso em 08 de dezembro de 2009

USA-NASA.(2004)President Bush Offers New Vision For NASA. Disponível em http://www.nasa.gov/ missions/solarsystem/bush_vision.html. . Acesso em 08 de dezembro de 2009.

USA-NIST. (2006) American Competitiveness Initiative Disponível em . Acesso em 20/10/2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.