Elites, coalizões e Desenvolvimento. Análise sobre a trajetória recente do Brasil1

Flavio Gaitán, Renato Raul Boschi

Resumo


Este trabalho visa analisar o papel dos atores estratégicos e das coalizões sociopolíticas na formulação de um projeto de desenvolvimento socioeconômico, definido como um processo de transformação qualitativa da estrutura produtiva, com aumento do bem-estar geral e mudanças da estrutura da sociedade. Utilizando a literatura que relaciona o papel das coalizões e o desenvolvimento, focamos na trajetória recente do Brasil


Palavras-chave


Elites, Coalizões, Desenvolvimento, Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


AMABLE, B. The Diversity of Modern Capitalism. Oxford: Oxford University Press, 2003.

AMSDEN, A. Asia’s next giant: South Korea and late industrialization. New York: Oxford University Press, 2001.

BANCO MUNDIAL. World Development Report 1997. The State in a changing world, Washington DC: Banco Mundial, 1997

BANCO MUNDIAL. Informe sobre el Desarrollo Mundial 2002. Instituciones para los mercados, México DF: Mundi-Prensa, 2002.

BARBOSA, N. Dez anos de política econômica. In Sader, E. (org.). Dez anos de governos pósneoliberais no Brasil: Lula e Dilma. São Paulo: Boitempo, 2013.

BARBOSA, N. O desafio macroeconômico de 2015-2018. Revista de Economia Política, v. 35, n. 3,

p. 403-425, julho setembro-2015.

BIELSCHOWSKY, R. Estratégia de desenvolvimento e as três frentes de expansão no Brasil: um desenho conceitual. Economia e Sociedade, Campinas, v. 21, número especial, p. 729-747, dezembro de 2012.

BICHIR, R. Capacidades Estatais Para a Implementação de Programas de Transferência de Renda: Os Casos de Brasil, Argentina e África do Sul, TD 2032, Brasília: IPEA, 2015.

BOITO Jr, A. A burguesia brasileira no governo Lula. XXVII Congreso de la Asociación Latinoamericana de Sociología. VIII Jornadas de Sociología de la Universidad de Buenos Aires. Asociación Latinoamericana de Sociología, Buenos Aires, 2009.

BOSCHI, R. Variedades de capitalismo, política e desenvolvimento na América Latina. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

BOSCHI, R.; GAITÁN, F. Intervencionismo estatal y políticas de desarrollo en América Latina. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIÊNCIA POLÍTICA, 6., Campinas. Campinas: ABCP, 2008.

BOSCHI, R.; GAITÁN, F. Politics and development: lessons from Latin America. In: BOSCHI, R.; GAITÁN, F. Novo Desenvolvimentismo. In: LEAL IVO, A. (Org.). Dicionário Temático Desenvolvimento e Questão Social, Annablume, p. 325-329, 2013.

BÉRTOLA, L. & OCAMPO, J. El Desarrollo Económico de América Latina desde la Independencia. México: FCE, 2012.

BRAUTIGAM, D., RAKNER, L., & TAYLOR, S. Business Associations and Growth Coalitions in Sub- Saharan Africa. Journal of Modern African Studies, v. 40, n. 4, p. 519-547, 2002.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Empresários, o governo do PT e o Desenvolvimentismo. Revista de Sociologia e Política, v. 21, n. 47, pp. 21-29, setembro de 2013. BRESSER-PEREIRA, L. C. Do antigo ao novo desenvolvimentismo na América Latina. FGV-SP Texto para Discussão n. 274, Novembro de 2010.

BRESSER-PEREIRA, L. C. “Estado y Mercado en el Nuevo Desarrollismo”. Nueva Sociedad, n. 210, pp. 110-125, Julio-Agosto de 2007.

BRUNO, M. e CAFFE, R. Crecimiento, Distribuição e acumulação de capital numa economia financeirizada: uma análise dos limites estruturais ao desenvolvimento brasileiro. 30 ANPOCS, Outubro 2014.

CAGNIN, R., MAGALHÃES PRATES, D; DE FREITAS, M. C e NOVAIS, L. F. A gestão

macroeconômica do governo Dilma (2011-2012). Novos Estudos n. 97, pp. 169-185. Novembro 2013.

CEPAL (2012). Medidas de política implementadas en América Latina y el Caribe ante las adversidades de la economía internacional, 2008-2012. Santiago de Chile: Edición de las Naciones Unidas.

CEPAL (2010). La Hora de la Igualdad. Santiago de Chile: Edición de las Naciones Unidas.

CEPAL (2016). Horizonte 2030: la igualdad en el centro del desarrollo sostenible. Santiago: Edición de las Naciones Unidas.

CONTEC. Lucros dos Bancos: síntese comparativa nos últimos três governos, Brasília: Contag, 2014.

COSTA PINTO, E.; GUEDES PINTO, J. P; BARULO, G.; SCHONERWAL, C. e NOGUEIRA. A

economia política dos governos Dilma: acumulação, bloco de poder e crise. PD 004, Instituto de Economia UNICAMP, 2016.

DE PAULA, LUIZ FERNANDO; MODENESI, A. M.; PIRES, M. C. The tale of the contagion of two crises and policy responses in Brazil: a case of (Keynesian) policy coordination?, Journal of Post Keynesian Economics, v. 37, n. 3, pp. 408-435, 2015.

DE PAULA, L. F. “Repensando o Desenvolvimentismo”, en: São Paulo em Perspectiva, v. 20, n. 3, p. 47-58, julio-septembro de 2007.

DE PAULA, L. F. & OREIRO, J. L. Novo Desenvolvimentismo e a Agenda de Reformas Econômicas para o crescimento sustentado com estabilidade de preços e equidade social, Texto preliminar para discusión, 2009.

DE TONI, J. 10 anos de política industrial: Balanço e perspectivas. Brasília: ABDI, 2015.

DI CAPRIO, A. Introduction: The Role of Elites in Economic Development. In: Alice H. Amsden, Alisa DiCaprio and James A. Robinson (eds.). The Role of Elites in Economic Development.

Oxford: Oxford University Press, 2012.

DIAP. Radiografia do Novo Congresso. Legislatura 2011-2015. Apoio do Governo Dilma no Congresso. Brasília: Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, 2010.

DINIZ, E. Empresário, estado e capitalismo no Brasil: 1930-1945. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

DINIZ, E. Empresariado industrial, representação de interesses e ação política: trajetória histórica e novas configurações. Política e Sociedade, Florianópolis, v. 9, n. 17, outubro de 2010.

DINIZ, E.; BOSCHI, R. A difícil rota do desenvolvimento: empresários e a agenda pós-neoliberal. Belo Horizonte: Editora UMFG, 2007.

DINIZ, E. & BOSCHI, R. Strategic elites and economic outlooks in Brazil, paper apresentado ao Congresso LASA, São Francisco, maio de 2011.

DINIZ, E. O Pós-Consenso de Washington: globalização, Estado e governabilidade reexaminados. In: Diniz, E. (org). Globalização, Estado e Desenvolvimento: Dilemas do Brasil no novo milênio. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

DINIZ, E. & GAITÁN, F. Repensando o Desenvolvimentismo: Estado, Instituições e a construção de uma agenda de desenvolvimento para o século XXI. Curitiba: Hucitec, 2016.

DOWBOR, L. Resgatando o potencial financeiro do Brasil. Outubro de 2015. In: http://dowbor. org/2016/08/ladislau-dowbor-resgatando-o-potencial-financeiro-do-pais-versao-atualizada- em-04082016-agosto-2016-47p.html/

DUVERGER, M. Os partidos políticos, Brasília: Editora da UNB, 1980.

EBENAU, M., BRUFF, I., MAY, C. (Eds.). New Directions in Comparative Capitalisms Research Critical and Global Perspectives. London: Palgrave Macmillan, 2015.

ERBER, F. As Convenções sobre Desenvolvimento no Governo Lula: um ensaio de economia política. Revista de Economia Política, vol. 31, nº 1 (121), pp. 31-55, janeiro-março de 2011.

EVANS, P. El Estado como problema y como solución. Desarrollo Económico, Buenos Aires, v. 35, n. 140, p. 529-562, 1996.

EVANS, P.; RUESCHEMEYER, D.; SKOCPOL, T. (Eds.). Bringing the State back in. New York: Cambridge University Press, 1985.

FREITAS, ROGÉRIO. Exportações agropecuárias: Importância relativa e grupos de produto. Brasília: IPEA, 2012.

GAITAN, F. & BOSCHI, R. (2015). Estado, Atores Predominantes e Coalizões para o Desenvolvimento: Brasil e Argentina em perspectiva comparada. Texto para Discussão 2098, Brasília: IPEA, 2015. GAITÁN, F. Auge, ocaso y resurgimiento de los estudios sobre desarrollo en América Latina. Documento de Proyecto LC/W 575, ILPES-CEPAL, 2014

GONÇALVES, R. Governo Lula e Nacional-desenvolvimentismo às avessas. Resita da Sociedade Brasileira de Economia Política, N. 31, pp. 5-30, 2012.

HALL, P. The political power of economic ideas: Keynesianism across nations. Princeton: Princeton University Press, 1989.

HANCKÉ, B.; RHODES, M.; THATCHER, M. Beyond varieties of capitalism: conflict, contradictions and complementarities in European economy. Oxford: Oxford University Press, 2007.

IANONI, M. Autonomia do Estado e desenvolvimento no capitalismo democrático. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 33, n. 4, out./dez. 2013.

IANONI, M. Estado e coalizão desenvolvimentista no Brasil no ciclo pós-neoliberal. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIÊNCIA POLÍTICA, 9. Brasília: ABCP, ago. 2014.

IPEA. Comunicado n. 155 A Década Inclusiva (2001-2011): Desigualdade, Pobreza e Políticas de Renda, 25 de setembro de 2012.

JOHNSON, C. MITI and the Japanese miracle. Stanford: Stanford University Press, 1982.

KHOLI, A. State directed development: political power and industrialization in the global periphery. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

LAWS, E. Political settlements, elite pacts, and governments of National Unity. Background paper 10, Developmental Leadership Program, 2012.

LEFTWICH, A.; HOGG, S. The case for leadership and the primacy of politics in building effective states, institutions and governance for sustainable growth and social development. Birmingham: Background Paper, n. 5. DLP, 2011.

LEFTWICH, A. “Bringing the Agency Back in: Politics and Human Agency in Building Institutions.” DLP Research Paper 06, Synthesis and Overview Report of Phase One of the Leaders, Elites and Coalitions Research Programme, 2009.

LEFTWICH, A., & LAWS, E. “Riker in the Tropics: The Theory of Political Coalitions (1962) and the Politics of Change in Developing Countries” Concept Paper 02, The Development Leadership Program, 2012.

LEFTWICH, A., & WHEELER, C. “Politics, Leadership and Coalitions in Development: Findings, Insights and Guidance from the DLP’s first Research and Policy Workshop, Frankfurt 10-11 March, 2011.” Research and Policy Workshop Report, The Development Leadership Program, 2011.

LINDBLOM, C. The Market as prison. The Journal of Politics, v. 44, n. 2, pp. 324-336, 1982.

LINZ, J. J. La quiebra de las democracias. Madrid: Alianza, 1978.

LISSIN, L. Acción Colectiva Empresaria. Homogeneidad dada o construida? Un análisis a la luz de las corporaciones empresariales en la crisis del 2001. IDAES. Documentos de Investigación Social Nº 3, 2008.

MELLO, G. Diagnóstico dos governos Dilma Rousseff: Do industrialismo à virada do neoliberalismo. XXI Encontro Nacional de Economia Política. Sociedade Brasileira de Economia Política. São Bernardo do Campo, 2016.

MINELLA, A. C. Maiores bancos privados no Brasil: um perfil econômico e sociopolítico. Sociologias, Porto Alegre, ano 9, nº 18, pp. 100-125jul./dez. 2007.

MINISTERIO DE AGRICULTURA, PECUARIA E ABASTECIMENTO (MAP). Intercâmbio comercial

do Agronegócio. Principais Mercados de Destino, 2012.

MORAES, W. Mudanças recentes na legislação trabalhista na América Latina em meio a continuidades: os casos de Brasil e Argentina. In: GAITAN, F.; DEL RIO, A. (Orgs.). Instituições, política e desenvolvimento: América Latina frente ao século XXI. Curitiba: CRV, 2013.

NOGUEIRA DA COSTA, F. In: Diniz, Eli & Gaitán, Flavio. Repensando o Desenvolvimentismo: Estado, Instituições e a construção de uma agenda de desenvolvimento para o século XXI. Curitiba: Hucitec, 2016.

NOGUEIRA DA COSTA, F. O mapa da riqueza do Brasil, 2015. In: http://jornalggn.com.br/noticia/ o-mapa-da-riqueza-no-brasil-por-fernando-nogueira-da-costa.

OFFE, C. Work: the key sociological category. In: KEANE, J. (Ed.). Disorganized capitalism: contemporary transformations of work and politics. Cambridge: MIT Press, 1985.

PAES DE BARROS, R. Sobre a evolução recente da pobreza e a desigualdade no Brasil. Brasília: IPEA, 2009.

PALAZZO DIAZ, R. Organização e posicionamento político dos bancos no governo Lula. Dissertação de mestrado apresentada ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UNICAMP para obtenção do título de mestre em Ciência Política, 2012.

PEIFFER, C. Patterns and hypotheses from a survey of the literature. Concept Paper 03, Developmental Leadership Program, 2012.

PERISSINOTTO, R. O conceito de Estado desenvolvimentista e sua utilidade para os casos brasileiro e argentino. Revista de Sociologia e Política, v. 22, n. 52, 59-75, dezembro 2014.

PRZEWORSKI, A.; WALLERSTEIN, I. Structural dependence of the state on capital. American Political Science Review, v. 82, n. 1, p. 58-85, 1988.

RECEITA FEDERAL (2016). Desoneração da Folha de Pagamento. Disponível em: http://idg. receita.fazenda.gov.br/dados/receitadata/renuncia-fiscal/renuncia-fiscal-setorial

RODRIGUEZ, O. El Estructuralismo latinoamericano, México: Siglo XXI Editores, 2006.

SALLUM JR, B. O Brasil sob Cardoso, neoliberalismo e desenvolvimentismo. Tempo Social, v. 11, n. 2, São Paulo, p.23-47, pp. 23-47, out. 1999.

SCHNEIDER, B.; MAXFIELD, S. Business, the State, and economic performance in developing countries. In: . (Eds.). Business and the State in developing countries. Ithaca: Cornell University Press, 1997.

SCHUMPETER, J.-A. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Zahar, 1984.

SERRANO, F.; SUMMA, R. “A desaceleração rudimentar da economia brasileira desde 2011”. In: Earp, F. S.; Bastian, E.; Modenesi, A. M. Como vai o Brasil? Rio de Janeiro, 2013.

SERRANO, F. & SUMMA, R. Demanda agregada e a desaceleração do crescimento econômico brasileira de 2011 a 2014, Center for Economic Policy Research, agosto de 2015.

SICSÚ, J. & MICHEL, R. Porque Novo Desenvolvimentismo. Jornal dos Economistas n. 186, pp. 3-5, janeiro 2005.

SINGER, A. Cutucando onças com varas curtas. O ensaio desenvolvimentista do primeiro mandato de Dilma Rousseff. Novos Estudos CEBRAP Nº 102, pp. 43-71, 2015.

SINGER, A. Os sentidos do lulismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

SOLIMANO, ANDRÉS & AVANZINI, DIEGO. The international circulation of elites: knowledge, entrepeneurial and political. In: Amdsem, Alice, Alisa Di Caprio & James Robinson (eds). The Role of elites in economic development. UNU-Wider e Oxford, 2012.

TANAKA, M. “En busca del eslabón perdido: coaliciones sociales y procesos políticos en el desarrollo territorial rural”. Documento de Trabajo N° 111. Programa Dinámicas Territoriales Rurales. Santiago de Chile: Rimisp, 2012.

TEIXEIRA, C. & MONTANI MARTINS, N. Política fiscal e a desaceleração da economia brasileira no governo Dilma (2010-2012). Texto para Discussão 013/2013, Instituto de Economia da UFRJ.

VAN WYK, J. A. Cadres, Capitalists, Elites and Coalitions. The ANC, Business and Development in South Africa. The Nordic African Institute Discussion Paper Nº 46, 2009.

WADE, R. Governing the market: economic theory and the role of government in East Asian industrialization. Princeton: Princeton University Press, 1990.

WEISS, LINDA (ed.). States in the Global Economy. Bringing Domestic Institutions Back In. London: Cambridge University Press, 2003.

WOO, M. The Developmental State. Ithaca: Cornell University Press, 1999.

WHAITES, A (2008) “States in Development: Understanding State-Building”, DfID Working Paper. London: DfID.

WHITFIELD, LINDSAY & THERKILDSEN OLE. What Drives States to Support the Development of Productive Sectors? Strategies ruling elites pursue for political survival and their policy implications, DIIS (Danish Institute for International Studies) Working Paper, 2011: 15

ZALANGA, S. Ruling Elite Coalitions and State Bureaucratic Capacity: Accounting for Developmental and Predatory States in Malaysia and Nigeria. Mímeo, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.