O Desenvolvimento para Além dos Arranjos Produtivos Locais (APLs): uma Exploração no Norte Fluminense

Lia Hasenclever, Yves Fauré, Caroline Miranda

Resumo


O objetivo do artigo é avaliar a formulação e a implementação da Política de Arranjos Produti­vos Locais (APLs) a partir de dois estudos de caso municipais da região norte fluminense – Campos dos Goytacazes e Macaé, no período 2002 a 2016. A metodologia adotada analisa indicadores quan­titativos e qualitativos do crescimento e do desen­volvimento econômico e humano dos municípios e, a seguir, a partir de pesquisa bibliográfica e investigações de campo, os três setores da região contemplados com a marca APL. Os resultados mostram que, apesar do crescimento econômico dos municípios de 2002 a 2014, os setores de fru­ticultura irrigada e de cerâmica em Campos, e de petróleo e gás em Macaé não foram capazes de mudar a estrutura econômica local ou melhorar o bem-estar da população. O estudo ilustra os limites da Política de APLs e a importância dela ser repen­sada de forma integrada a outros setores da região e nacionais.


Palavras-chave


crescimento econômico; desenvolvimento econômico e humano; política de arranjos produtivos locais; Campos; Macaé.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, T. B. Desenvolvimento Regional Brasileiro e Políticas Públicas no Governo Lula. In: SADER, E. (Org.) 10 Anos de Governos Pós-neoliberais: Lula e Dilma. São Paulo: Editorial Boitempo/Flacso, p. 143- 160, 2013.

BRITTO, J. Arranjos Produtivos Locais. Perfil das Concentrações de Atividades Econômicas no Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UFF, FUNCEX, UFRJ/IE, Sebrae RJ, 2004.

CARLEIAL, L. O Desenvolvimento Regional Brasileiro Ainda em Questão. Revista Política e Planejamento Regional (PPR), v. 1, n. 1, p.1-21, jan./jun. 2014.

COUTINHO, J. C. S. Indústria Cerâmica de Campos: um retrato em preto e branco. 2005-2006. Dissertação (Mestrado em Planejamento Regional e Gestão de Cidades), Universidade Candido Mendes, Campos de Goytacazes.

FAURÉ, Y.-A. Macaé: internalizar as oportunidades do petróleo e diversificar a economia municipal. In: FAURÉ, Y.-A.; HASENCLEVER, L. (Orgs) O Desenvolvimento Local no Estado do Rio de Janeiro. Estudos avançados nas realidades municipais. Rio de Janeiro, E-Papers, 2005, p. 215-322.

FAURÉ, Y.-A.; HASENCLEVER, L. (Orgs) Caleidoscópio do Desenvolvimento Local no Brasil. Diversidade das abordagens e das experiências. Rio de Janeiro, E-Papers, 2007.

G1 — Macaé. Petrobras divulga investimento de US$ 18,9 bilhões na Bacia de Campos para os próximos 5 anos. 21/12/2017, 19h27. Disponível em: < >. https://glo.bo/2YBhOGX. Acesso em: 15 out. 2019.

GARABINI, T. Dr. Aluízio anuncia quais serão as medidas para enfrentar crise financeira nacional. Macaé: Diário da Costa do Sol, 17 a 19 de janeiro de 2015.

HASENCLEVER, L.; FAURÉ, Y.-A. Limites dos Arranjos Produtivos Locais: Macaé no cenário de reconfiguração da cadeia de petróleo e gás. In: ABREU e SILVA, S. R. de; CARVALHO, M. R. de (Orgs) Macaé do Caos ao Conhecimento. Prefeitura Municipal de Macaé, 2019, p. 475-501.

KEHL, L. R. S.; WAGNER, G. P. A Evolução das Arrecadações de Royalties e Participações Espaciais e seus Impactos

Orçamentários de Macaé no período 2013 a 2018. In: ABREU e SILVA, S. R. de; CARVALHO, M. R. de (Orgs). Macaé do Caos ao Conhecimento. Macaé: Prefeitura Municipal de Macaé, 2019, p. 250-261.

LA ROVERE, R. L.; CARVALHO, R. L. Campos de Goytacazes: os desafios da transformação de um epicentro regional. In: FAURÉ, Y.-A.; HASENCLEVER, L. (Orgs). O Desenvolvimento Local no Estado do Rio de Janeiro. Estudos avançados nas realidades municipais, p. 73-138, 2005.

LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E; CAMPOS, R. Arranjos e Sistemas Produtivos Locais: vantagem do enfoque. In: LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E (Orgs). Estratégias para o desenvolvimento: um enfoque sobre arranjos produtivoslocais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste brasileiros. Rio de Janeiro: E-Papers, 2006, pp. 13-28.

MEIRELLES JUNIOR, J. C. Avaliação do Programa Frutificar: uma política pública do estado do Rio de Janeiro aplicada no município de Campos dos Goytacazes. 2015. Tese (Doutorado em Ciência, Tecnologia e Inovação em Agropecuária) – Pró- Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica.

PERROUX, F. Dictionnaire économique et social. Paris, Hatier, 1990.

REDE PETRO RIO. Associação das Empresas Fornecedoras do Setor de Petróleo, Gás e Energia do Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: out. 2019.

RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS – RAIS: competência 2002 — 2016. Brasil. Ministério da Economia. Secretaria Especial de Previdência e Trabalho. Brasília. Disponível em: . Acesso em: out. 2019.

RAMOS, I. S.; ALVES, M. G.; ALEXANDRE, J. Diagnóstico do Polo Cerâmico de Campos dos Goytacazes – RJ. Cerâmica Industrial, v. 11, n. 1, p. 28-32, jan.-fev. 2006.

SADER, E. (Org.). 10 Anos de Governos Pós-Neoliberais: Lula e Dilma. São Paulo: Editorial Boitempo/Flacso, 2013.

SILVA, F. F.; HASENCLEVER, L.; FAURE, Y-A; MATIAS, I.O. Evolução do desenvolvimento humano dos municípios do Rio de Janeiroentre 2005 e 2016. R. Tecnol. Soc., Curitiba, v. 16, n. 39, p. 76-93, jan/mar. 2020.

SCHMIDT FILHO, R.; DE PAULA, N. M. Incentivos à formação de APLs no Brasil: A atual distribuição espacial das iniciativas e evidências de uma falsa política industrial. Informe GEPEC, v. 12, n. 1, p. 1-17, jan./jun. 2008.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do Desenvolvimento Econômico. São Paulo: Editora Nova Cultural Ltda, 1997.

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – TCE/RJ: competência 2002 — 2016. Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: out. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.