Maternidade adolescente no contexto das ruas

Irene Rizzini, Renata Mena Brasil do Couto

Resumo


A gravidez e a maternidade na adolescência acarretam profundos impactos nas vidas de jovens mulheres. Quando ocorrem em contextos de alta vulnerabilidade, como nas ruas, essa realidade torna-se ainda mais desafiadora e uma questão importante para o campo das políticas públicas. Entretanto, é restrita a produção de conhecimento sobre essa temática e, como resultado, são poucas as pesquisas que podem subsidiar os desenhos institucionais de assistência e atenção a jovens mães em situação de rua. Este artigo visa a contribuir para o debate atual, revisitando a literatura acadêmica e discutindo práticas em curso destinadas às adolescentes grávidas e/ou mães em situação de rua. Identificamos que a maior parte dos estudos analisados considera
aspectos positivos da maternidade, a partir dos discursos das jovens mães, ainda que sejam
reconhecidas a complexidade do cotidiano de vida dessas adolescentes, a escassez de serviços
específicos voltados para seu atendimento e a permanência de práticas punitivas e repressivas
voltadas para essa população.


Palavras-chave: gravidez, maternidade, jovens em situação de rua.


Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, P. C. M. et al. Era uma casa …!? Discurso, dinâmica familiar e contingências da rua. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 14, n. 3, p. 447-453, jul./set. 2009.

CALAF, P. P. Criança que faz criança: (des) construindo infânica e sexualidade com meninos e meninas de rua. 2007. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

COIMBRA, C. M. B. Operação Rio: o mito das classes perigosas. Rio de Janeiro: Oficina do Autor, 2001.

COIMBRA, C. M. B; NASCIMENTO, M. L. A produção de crianças e jovens perigosos: a quem interessa? In: Direitos Humanos não tem idade. Rio de Janeiro: CEDECA/São Martinho, 2008. Disponível em: Acesso em: 04/07/2017.

COMMITTEE ON THE RIGHTS OF THE CHILD (CRC). Concluding observations on the combined second to fourth periodic reports of Brazil. Publicado em: 30 de outubro de 2015.

COSTA et al. Gestantes em situação de rua no município de Santos, SP: reflexões e desafios para as políticas públicas. Saúde Soc. São Paulo, v.24, n.3, p.1089-1102, 2015.

COUTO, M. C. V. Políticas de saúde mental para crianças e adolescentes: especificidades e desafios da experiência brasileira. 2012. Tese (Doutorado em Saúde Mental) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DE MINAS GERAIS (CRP/MG). Da destituição do poder familiar: um caso de/para mães. Publicado em 2015.

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (DP/RJ). Reunião de Trabalho do Grupo de Discussão sobre a Nota Técnica Conjunta n. 001 SAS e SGEP do Ministério da Saúde. Publicado em 2015 (mimeo).

FERNANDES, L. P. Maternidade e consanguinidade no contexto da situação de rua In: Fazendo Gênero 8 – Corpo, Violência e Poder, Florianópolis, 25 a 28 de agosto de 2008.

FERNANDES, R. S. A maternagem em unidade de abrigamento: a relação entre mães adolescentes e seus filhos. 2012. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

FRANGELLA, S. M. Fragmentos de corpo e gênero entre meninos e meninas de rua. Cadernos Pagu, nº 14, pp.201-234, 2000.

FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA (UNICEF). O Direito de Ser Adolescente: oportunidade para reduzir vulnerabilidades e superar desigualdades, 2011.

GONTIJO, D. T. Adolescentes com experiência de vida nas ruas: compreendendo os significados da maternidade e paternidade em um contexto de vulnerabilidade. 2007. Tese (Doutorado em Programa Multiinstitucional de Pós-Graduação) – Universidade Federal de Goiás, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, 2007.

GONTIJO, D. T.; MEDEIROS, M. “Tava morta e revivi”: significado de maternidade para adolescentes com experiência de vida nas ruas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 24(2):469-472, fev. 2008.

LIMA, R. C. C.; TAVARES, P. Desafios recentes às políticas sociais brasileiras sobre as drogas: Enfrentamento ao crack e proibicionismo. Revista Argumentum, Vitória, v. 4, n. 2, p. 6-23, jul./dez. 2012.

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS). Nota técnica conjunta Nº 001 – SAS e SGEP, 2015 (mimeo).

MOURA, Y. G.; SILVA, E. A.; NOTO, A. R. Redes sociais no contexto de uso de drogas entre crianças e adolescentes em situação de rua. Psicologia em Pesquisa, UFJF, 3 (01), p. 31-46, jan./jun. 2009.

PALUDO, S. S.; KOLLER, S. H. Toda criança tem família: criança em situação de rua também. Psicologia & Sociedade; 20(1), p. 42-52, 2008.

PASSOS, S. M. B. Mulheres/mães usuárias de crack: histórias de desproteção social. 2016. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

PENNA et al. A maternidade no Contexto de Abrigamento: concepções das adolescentes abrigadas. Rev Esc Enferm, USP, 2012a; 46(3): 544-8.

_____. Concepção de profissionais de unidades de acolhimento sobre a maternidade em adolescentes abrigadas. Rev Rene. 2012b; 13(1):44-52.

RIBEIRO, M. O. A criança de/na rua tem família: uma família em crise. Rev. Bras. Cresc. Des. Hum, São Paulo, 11(1), 2001.

RIBEIRO, M. O.; CIAMPONE, M. H. T. Crianças em situação de rua falam sobre os abrigos. Rev. Esc. Enferm., USP (São Paulo), v. 36(4), p. 309-316, 2002.

RIZZINI, I. (Coord.). Vida nas ruas: crianças e adolescentes nas ruas. Trajetórias inevitáveis? Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2003.

RIZZINI, I.; NEUMANN, M. M.; CISNEROS, A. Estudos contemporâneos sobre a infância e paradigmas de direitos. Reflexões com base nas vozes de crianças e adolescentes em situação de rua no Rio de Janeiro In: RIZZINI, I.; SILVA, S. B. O Social em Questão, nº 21. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2009.

RODRIGUES, L. B. F. Liberdades individuais, direitos humanos e a internação forçada em massa de usuários de drogas. Revista Brasileira de Estudos Constitucionais. Belo Horizonte, v. 7, n.25, jan./abr., 2013.

SANTOS, K. D.; MOTTA, I. F. O significado da maternidade na trajetória de três jovens mães: um estudo psicanalítico. Estudos de Psicologia, Campinas, 31(4), 517-525, out/dez 2014.

SCAPPATICCI, A. L. S. Contextos de vida e as vivências da maternidade de adolescentes em situação de rua. Aspectos sociais e psicológicos. 2006. Tese (Doutorado em Psiquiatria) – Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2006.

TFOUNI, L. V.; MORAES, J. A família narrada por crianças e adolescentes de rua: a ficção como suporte do desejo. Psicol. USP, São Paulo, vol.14, n.1, 2003.

WINNICOTT, D. W. Tudo começa em casa. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

YUNES, M. Â. M. et al. Família vivida e pensada na percepção de crianças em situação de rua. Paidéia, 11(20), p. 47-56, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 DESIDADES - Revista Eletrônica de Divulgação Científica da Infância e Juventude

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902