Maternidad adolescente en el contexto de las calles

Irene Rizzini, Renata Mena Brasil do Couto

Resumo


El embarazo y la maternidad en la adolescencia conllevan profundos impactos en la vida de
jóvenes mujeres. Cuando se dan en contextos de alta vulnerabilidad, como en las calles, esta
realidad se vuelve aún más desafiante y se convierte en una cuestión importante para el campo
de las políticas públicas. Con todo, la producción de conocimiento sobre esta temática es
restringida y, como resultado, son pocas las investigaciones que pueden subsidiar los diseños
institucionales de asistencia y atención a jóvenes madres en situación de calle. Este artículo
pretende contribuir al debate actual, revisando la literatura académica y discutiendo prácticas en curso destinadas a las adolescentes embarazadas y/o madres en situación de calle. Identificamos que la mayor parte de los estudios analizados considera aspectos positivos de la maternidad, a partir de los discursos de las jóvenes madres, aún cuando se reconocen las complejidades del cotidiano de vida de estas adolescentes, la escasez de servicios específicos dirigidos a su atención y la permanencia de prácticas punitivas y represivas dirigidas a esa población.


Palabras clave: embarazo, maternidad, jóvenes en situación de calle


Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, P. C. M. et al. Era uma casa …!? Discurso, dinâmica familiar e contingências da rua. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 14, n. 3, p. 447-453, jul./set. 2009.

CALAF, P. P. Criança que faz criança: (des) construindo infânica e sexualidade com meninos e meninas de rua. 2007. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

COIMBRA, C. M. B. Operação Rio: o mito das classes perigosas. Rio de Janeiro: Oficina do Autor, 2001.

COIMBRA, C. M. B; NASCIMENTO, M. L. A produção de crianças e jovens perigosos: a quem interessa? In: Direitos Humanos não tem idade. Rio de Janeiro: CEDECA/São Martinho, 2008. Disponível em: Acesso em: 04/07/2017.

COMMITTEE ON THE RIGHTS OF THE CHILD (CRC). Concluding observations on the combined second to fourth periodic reports of Brazil. Publicado em: 30 de outubro de 2015.

COSTA et al. Gestantes em situação de rua no município de Santos, SP: reflexões e desafios para as políticas públicas. Saúde Soc. São Paulo, v.24, n.3, p.1089-1102, 2015.

COUTO, M. C. V. Políticas de saúde mental para crianças e adolescentes: especificidades e desafios da experiência brasileira. 2012. Tese (Doutorado em Saúde Mental) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DE MINAS GERAIS (CRP/MG). Da destituição do poder familiar: um caso de/para mães. Publicado em 2015.

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (DP/RJ). Reunião de Trabalho do Grupo de Discussão sobre a Nota Técnica Conjunta n. 001 SAS e SGEP do Ministério da Saúde. Publicado em 2015 (mimeo).

FERNANDES, L. P. Maternidade e consanguinidade no contexto da situação de rua In: Fazendo Gênero 8 – Corpo, Violência e Poder, Florianópolis, 25 a 28 de agosto de 2008.

FERNANDES, R. S. A maternagem em unidade de abrigamento: a relação entre mães adolescentes e seus filhos. 2012. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

FRANGELLA, S. M. Fragmentos de corpo e gênero entre meninos e meninas de rua. Cadernos Pagu, nº 14, pp.201-234, 2000.

FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA (UNICEF). O Direito de Ser Adolescente: oportunidade para reduzir vulnerabilidades e superar desigualdades, 2011.

GONTIJO, D. T. Adolescentes com experiência de vida nas ruas: compreendendo os significados da maternidade e paternidade em um contexto de vulnerabilidade. 2007. Tese (Doutorado em Programa Multiinstitucional de Pós-Graduação) – Universidade Federal de Goiás, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, 2007.

GONTIJO, D. T.; MEDEIROS, M. “Tava morta e revivi”: significado de maternidade para adolescentes com experiência de vida nas ruas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 24(2):469-472, fev. 2008.

LIMA, R. C. C.; TAVARES, P. Desafios recentes às políticas sociais brasileiras sobre as drogas: Enfrentamento ao crack e proibicionismo. Revista Argumentum, Vitória, v. 4, n. 2, p. 6-23, jul./dez. 2012.

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS). Nota técnica conjunta Nº 001 – SAS e SGEP, 2015 (mimeo).

MOURA, Y. G.; SILVA, E. A.; NOTO, A. R. Redes sociais no contexto de uso de drogas entre crianças e adolescentes em situação de rua. Psicologia em Pesquisa, UFJF, 3 (01), p. 31-46, jan./jun. 2009.

PALUDO, S. S.; KOLLER, S. H. Toda criança tem família: criança em situação de rua também. Psicologia & Sociedade; 20(1), p. 42-52, 2008.

PASSOS, S. M. B. Mulheres/mães usuárias de crack: histórias de desproteção social. 2016. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

PENNA et al. A maternidade no Contexto de Abrigamento: concepções das adolescentes abrigadas. Rev Esc Enferm, USP, 2012a; 46(3): 544-8.

_____. Concepção de profissionais de unidades de acolhimento sobre a maternidade em adolescentes abrigadas. Rev Rene. 2012b; 13(1):44-52.

RIBEIRO, M. O. A criança de/na rua tem família: uma família em crise. Rev. Bras. Cresc. Des. Hum, São Paulo, 11(1), 2001.

RIBEIRO, M. O.; CIAMPONE, M. H. T. Crianças em situação de rua falam sobre os abrigos. Rev. Esc. Enferm., USP (São Paulo), v. 36(4), p. 309-316, 2002.

RIZZINI, I. (Coord.). Vida nas ruas: crianças e adolescentes nas ruas. Trajetórias inevitáveis? Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2003.

RIZZINI, I.; NEUMANN, M. M.; CISNEROS, A. Estudos contemporâneos sobre a infância e paradigmas de direitos. Reflexões com base nas vozes de crianças e adolescentes em situação de rua no Rio de Janeiro In: RIZZINI, I.; SILVA, S. B. O Social em Questão, nº 21. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2009.

RODRIGUES, L. B. F. Liberdades individuais, direitos humanos e a internação forçada em massa de usuários de drogas. Revista Brasileira de Estudos Constitucionais. Belo Horizonte, v. 7, n.25, jan./abr., 2013.

SANTOS, K. D.; MOTTA, I. F. O significado da maternidade na trajetória de três jovens mães: um estudo psicanalítico. Estudos de Psicologia, Campinas, 31(4), 517-525, out/dez 2014.

SCAPPATICCI, A. L. S. Contextos de vida e as vivências da maternidade de adolescentes em situação de rua. Aspectos sociais e psicológicos. 2006. Tese (Doutorado em Psiquiatria) – Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2006.

TFOUNI, L. V.; MORAES, J. A família narrada por crianças e adolescentes de rua: a ficção como suporte do desejo. Psicol. USP, São Paulo, vol.14, n.1, 2003.

WINNICOTT, D. W. Tudo começa em casa. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

YUNES, M. Â. M. et al. Família vivida e pensada na percepção de crianças em situação de rua. Paidéia, 11(20), p. 47-56, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 DESIDADES - Revista Eletrônica de Divulgação Científica da Infância e Juventude

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902