Biblioteca 21 de abril: experiências coletivas junto a crianças e jovens do sertão cearense, Brasil

Raimundo Augusto Martins Torres, Leidy Dayane Paiva de Abreu, Aretha Feitosa de Araújo, Maria Rocineide Ferreira da Silva

Resumo


A experiência tem como objetivo descrever as práticas coletivas, culturais e de leitura
junto a crianças da Associação dos Jovens do Irajá – AJIR/Biblioteca 21 de Abril, distrito de
Hidrolândia/CE, com base nos Círculos de Cultura de Paulo Freire. O projeto de extensão
tem o acompanhamento pedagógico de pesquisadores, enfermeiros(as) mestres e
doutor da Universidade Estadual do Ceará, representantes da AJIR, e duas monitoras,
estudantes de pedagogia da comunidade irajaense, junto às crianças que participam da
Biblioteca 21 de Abril. Esses sujeitos apresentaram suas redações e desenhos acerca de
suas leituras e histórias de vida. Posteriormente, foram realizadas expressões artísticas
e culturais como dança, teatro, cordel, poesia, música etc. Logo, a experiência favoreceu,
incentivou e estimulou a utilização e a expressão de diferentes formas de linguagem,
leitura e representação da realidade, por meio de uma prática de leitura emancipatória,
com estabelecimento de vínculos e troca de saberes.


Palavras-chave: cultura popular, crianças, leitura, arte, círculos de cultura.


Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, L. D. P. et al. Abordagem educativa utilizando os Círculos de Cultura de Paulo Freire: experiência de acadêmicos de enfermagem no “Grupo Adolescer”. Adolesc. Saúde, Rio de Janeiro, v. 10, n. 4, p. 66-70, out/dez. 2013.

BRANDÃO, C. R. O que é o método Paulo Freire. 32. ed. São Paulo: Brasiliense, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo/Parecer 36/2001. Brasília: MEC/SEB, 2001.

CAVALCANTE, L. D. E.; FEITOSA, L. T. Bibliotecas comunitárias: mediações, sociabilidades e cidadania. Liinc em revista, v. 7, n. 1, p. 121-130, mar. 2011.

FREIRE, P. O caminho se faz caminhando: conversas sobre educação e mudança social. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010: resultados preliminares. Pirâmide etária. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2016.

MANKE, L. S. Leitores rurais: apropriação ético-prática nos sentidos atribuídos à leitura. ICH/UFPEL. 36. Reunião Anual da ANPED, GT 10, 2013.

MONTEIRO, E. M. L. M. (Re)Construção de Ações de Educação em Saúde a partir de Círculos de Cultura: experiência participativa com enfermeiras do PSF do Recife/PE. Fortalezza, 2007. Tese (Doutorado em Enfermagem) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007.

PADILHA, P. R. Currículo intertranscultural: por uma escola curiosa, prazerosa e aprendente. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

TORRES, R. A. M. Sexualidade e relações de gênero na escola [manuscrito]: uma cartografia dos saberes, práticas e discursos dos/as docentes. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902