A pauta das jovens mulheres brasileiras junto ao governo federal

Cynthia Mara Miranda, Ana Laura Lobato

Resumo


O presente artigo busca contextualizar a construção da pauta das jovens mulheres no Brasil
a partir das experiências do Grupo de Trabalho Jovens Mulheres (GTJM), criado em 2011 pela
Secretaria Nacional da Juventude, para subsidiar a transversalização de gênero nas políticas
públicas de juventude no governo federal. O estudo aponta como o recorte de gênero, associado ao contexto histórico-social da juventude, caminha na atualidade para o reconhecimento das demandas das jovens mulheres e de suas múltiplas identidades na construção de uma política pública para esse segmento.


Palavras-chave: jovens mulheres, políticas públicas de juventude, Secretaria Nacional de Juventude.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVAREZ, S. Para além da sociedade civil: reflexões sobre o campo feminista. Cadernos Pagu, Campinas, n. 43, p. 13-53, jul./dez. 2014.

BACCHI, C.; JOAN, E. Mainstreaming politics: gendering practices and feminist theory. Adelaide: University of Adelaide Press, 2010.

BUTLER, J. Problemas de Gênero: Feminismo e a subversão da identidade. Nova York: Routledge, 1990.

DEMO, P. Pesquisa Participante: saber pensar e intervir juntos. 2. ed. Brasília, DF: Liber, 2008.

DIZ, A. N. M.; SCHWARTZ, P. K. N. (Org). Juventudes y género: sentidos y usos del cuerpo, tiempos y espacios en los jóvenes de hoy. Buenos Aires: Lugar Editorial, 2012.

ESTEVES, L. C. G; ABRAMOVAY, M. Juventude, Juventudes: pelos outros e por elas mesmas. In: ABRAMOVAY, M; ANDRADE, E. R; ESTEVES, L. C. G. (Org). Juventudes: outros olhares sobre a diversidade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, Unesco, 2007.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de janeiro, 2012.

LOBATO, A. L. (Org). Jovens Mulheres e Políticas Públicas. Brasília: Presidência da República, 2014.

MARGULIS, M.; URRESTI, M. La juventud es más que uma palabra. In: La juventud es más que una palabra – ensayos sobre cultura y juventud. Buenos Aires: Biblos, 1996.

MIRANDA, C. M.; Movimentos de Mulheres, Governança Descentralizada e Desenvolvimento Regional no Estado do Tocantins. Gênero na Amazônia, v. 5, p. 187-200, 2014.

PAPA, F. C. Transversalidade e políticas públicas para mulheres no Brasil: percursos de uma pré-política. São Paulo, 2012. Dissertação (Mestrado em Administração Pública) – Escola de Administração Pública e Governo EAESP-FGV, São Paulo, 2012.

PAPA, F. C.; SOUZA, R. (Org). Forito: Jovens Feministas Presentes. São Paulo: Fundação Friedrich Ebert, Ação Educativa, UNIFEM, 2009.

PIRES, R.; VAZ, A. Participação social como método de governo? Um mapeamento das “interfaces socioestatais” nos programas federais. Texto para Discussão. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), n. 1707, 2012.

PRÁ, J. R.; EPPING, L.; CHERON, C. A Dicotomia Público-Privado e os Processos de Socialização de Gênero entre a Juventude. Anais III Seminário Nacional Sociologia & Política, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 26 a 28 de setembro de 2011.

SCHWARZ, P. Prácticas, estratégias y percepciones de la maternidad em mujeres jóvenes de clase media urbana. In: KORNBLIT, A. L. (Org). Juventud y vida cotidiana. Buenos Aires: Editorial Biblos, 2007.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 2, n. 20, p. 71-99, jul./dez. 1995.

SCOTT, J. Os usos e abusos do gênero. Projeto História, São Paulo, n. 45, p. 327-351, dez. 2012.

SILVA, Á. C. de F. Mulheres jovens e o problema da inclusão: novidades no II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres. In: PAPA, F. C.; SOUZA, R. (Org). Forito: Jovens Feministas Presentes. São Paulo: Fundação Friedrich Ebert, Ação Educativa, UNIFEM, 2009.

ZANETTI, J. P. Reflexões sobre a participação juvenil no feminismo. In: COTIDIANO MUJER; ARTICULACIÓN FEMINISTA MARCOSUR. (Org). Desafíos Feministas en América Latina: la mirada de las jóvenes. Montevideu: Cotidiano Mujer; Articulación Feminista Marcosur, 2009, p. 29-40.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902