Morte e vida na adolescência: da dor e da delícia de ser jovem

Fátima Flórido Cesar

Resumo


O presente artigo tem como objetivo reletir sobre o sofrimento na adolescência, que vem
se apresentando sob a forma de comportamentos de risco: depressão, ideias e tentativas de
suicídio e ataques corporais. Destaco que esse breve estudo partiu da incidência numerosa
de suicídios e auto-mutilações que vêm ocorrendo nos últimos anos. A articulação entre
algo de caráter epidêmico e a singularidade do adoecimento desses jovens que chegam aos
consultórios conduziu-me a recorrer ao relato da história de Ana com seu desamparo e busca de
identiicação com grupos que se organizam em torno do mortífero. Por outro lado, a atenção
aos movimentos de vida e anseio por pertencimento faz-se necessária, reconhecendo aí uma
busca por um encontro vitalizador com a analista e uma inserção na vida através dos laços com
os pares que comungam de ideais e idiomas subjetivos comuns. O desejo de vida por parte da
analista se aliança assim aos recursos de saúde da paciente.

Palavras-chave: adolescência, suicídio, cutting, desamparo, busca de pertencimento.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 DESIDADES - Revista Eletrônica de Divulgação Científica da Infância e Juventude

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

NIPIAC / Instituto de Psicologia - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Av. Pasteur, 250 -- Urca, Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902
+55 (21) 2295-3208 / +55 (21) 3839-5328