Jovens nem nem brasileiros/as: entre desconhecimento das experiências, espetacularização e intervenções

Paulo Roberto da Silva Junior, Claudia Mayorga

Resumo


A preocupação com a continuidade do social e os modos ideais de integração dos/as jovens na
sociedade, principalmente os/as de origem popular, torna os jovens nem nem um campo propício
de intervenções por diferentes atores da sociedade. Os incômodos com a inatividade dos/as
jovens pobres estão presentes ao longo da história da juventude brasileira e, na atualidade,
é sob o nome de jovens nem nem que determinadas parcelas da juventude têm ganhado
grande destaque na mídia, nos projetos sociais e nas políticas p’blicas. Analisamos como a
construção do lugar de problema social para os/as jovens chamados/as nem nem é sustentada
por um desconhecimento das experiências dos/as jovens pobres, uma espetacularização do
fenômeno e pela constituição de um conjunto de práticas para solucioná-lo. Reletimos como
essas nomeações reatualizam a noção de jovens perigosos/as do passado e constroem práticas
sociais paradoxais.
Palavras-chave: jovem nem nem, jovem pobre, mídia, intervenção, experiência.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 DESIDADES - Revista Eletrônica de Divulgação Científica da Infância e Juventude

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

NIPIAC / Instituto de Psicologia - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Av. Pasteur, 250 -- Urca, Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902
+55 (21) 2295-3208 / +55 (21) 3839-5328