Projeto de Vida Titanzinho: jovens e direitos humanos

Iara Andrade, Paula Autran

Resumo


O Serviluz, oicialmente denominado como Cais do Porto, é um bairro da cidade de dortaleza,
Ceará, que se encontra em situação de vulnerabilidade social, com alto índice de violência,
baixo nível de desenvolvimento humano e uma grande população de jovens em situação de
risco. Em 2015, foi realizada uma atuação com os jovens da comunidade com a proposta de
trabalhar um Projeto de tida. Em 2016, o projeto foi nomeado como Projeto de tida Titanzinho
e passou a atuar com a temática de Direitos (umanos, tendo como objetivo provocar relexões,
discussões e ações sobre o assunto. A metodologia envolveu roda de conversa, apresentação e
construções de conteúdos, palestras, atividades de campo e grupos de arte. Como resultados
das intervenções, foi possível perceber que os jovens apresentaram conhecimentos mais
elaborados sobre os direitos humanos e relacionados aos temas trabalhados durante o ano.
Palavras-chave: direitos humanos, Serviluz, psicologia social, educação informal, Projeto de tida Titanzinho.


Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, M. L. M.; ABADE, F. L. Jogos para pensar: Educação em Direitos Humanos e Formação para a Cidadania. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

BRASIL, A. B. Plano ou Projeto? As ZEIS de Fortaleza no contexto do planejamento estratégico. III Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo. São Paulo, 2014

CAMINO, L. A Psicologia e a Luta contra o Racismo: Temos de que nos orgulhar?. In: SILVA, M. V. O. (Org.). Psicologia e Direitos Humanos: Subjetividade e Exclusão. Brasilia: Casa do Psicólogo, 2004. p. 231-242.

COMITÊ DE PREVENÇÃO DE HOMICÍDIOS NA ADOLESCÊNCIA. Cada Vida Importa: Relatório Final 2016. Fortaleza, 2016.

FREIRE, P. Conscientização. São Paulo: Cortez, 2016.

GOHN, M. G. Educação não formal, aprendizagens e saberes em processos participativos. Investigar em Educação, v. 2, n. 1, 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – 2010. Disponível em:

http://cidades.ibge.gov.br/xtras/temas.php?codmun=230440&idtema=118

>. Acesso em: 29 nov. 2017.

INSTITUTO DE PLANEJAMENTO DE FORTALEZA (IPLANFOR). Fortaleza 2040. Fortaleza, 2015.

JARDIM, C. S. Brincar: Um campo de subjetivação na infância. 2. ed. São Paulo: Annablume, 2003.

LIXO Extraordinário. Direção: Lucy Walker. Produção: Angus Aynsley e Hank Levine. Brasil/Reino Unido: Almega Projects e O2 Filmes, 2010. 1 DVD (90 min.), son., color.

LUCCHIARI, D. H. P. S. Planejamento por encontros. In: LUCCHIARI, D. H. P. S. Pensando e vivendo a orientação profissional. São Paulo: Summus, 1993. p. 22-34.

MEDEIROS, M. A. Direitos Humanos: uma paixão refletida. Belo Horizonte: RECIMAM, 2006.

NOGUEIRA, A. A. Da pesca ao Surfe: natureza, cultura e resistência. In: GORCZEVSKI, D. (Org.). Arte que inventa afetos. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2017. p. 143-154.

NOGUEIRA, A. A. Fogo, vento, terra e mar: a arte de falar dos trabalhadores do mar. São Paulo: Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer do Município de Caçapava, 2007.

ONU. O que são os direitos humanos? 2016. Disponível em:

http://www.dudh.org.br/definicao/

. Acesso em: 10 out. 2017.

TAJFEL, H.. Grupos Humanos e Categorias Sociais. Lisboa: Livros Horizontes, 1982.

PEREIRA, C.; TORRES, A. R.; ALMEIDA, S. T.. Um estudo do preconceito na perspectiva das representações sociais: análise da influência de um discurso justificador da discriminação no preconceito racial. Psicologia: reflexão e crítica, v. 16, n. 1, 2003.

SILVA, M. V. O.. Apresentação. In: SILVA, M. V. O. (Org.). Os Direitos Humanos na prática profissional dos psicólogos. Brasília: CFP, 2003. p. 6-6.

UNIC/RIO. Declaração Universal dos Direitos Humanos. 2009. Disponível em:

http://www.dudh.org.br/wp-content/uploads/2014/12/dudh.pdf

. Acesso em: 01 out. 2017.

ZIRALDO. Os direitos humanos. Brasília: Ministério da Educação, 2008. Disponível em:

http://www.dhnet.org.br/dados/cartilhas/a_pdf_dh/cartilha_ziraldo_dh.pdf

. Acesso em: 10 jan. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902