"Você sabe o que seu filho está fazendo neste momento?" Políticas da última ditadura argentina em torno da infância e da juventude

María Florencia Osuna

Resumo


Este artigo apresenta um conjunto de discursos, iniciativas e atores vinculados à infância
que teve lugar durante a última ditadura argentina (1976-1983). Assim, analisa um imaginário
biologicista que entendia a nação como um corpo, a família como “célula fundamental da
comunidade” e as crianças e jovens como as paredes mais frágeis dessa célula. Em relação a
isso, o trabalho também aborda as políticas destinadas aos mais jovens, que, para a ditadura,
representavam um campo potencial de incertezas que era necessário controlar e dirigir.
Palavras-chave: ditadura, Argentina, infância, jovem.


Texto completo:

PDF

Referências


FILC, J. Entre el parentesco y la política. Familia y dictadura, 1976-1983. Buenos Aires: Biblos, 1997.

LVOVICH, D.; RODRÍGUEZ, L. La Gendarmería Infantil durante la última dictadura. Quinto sol, La Pampa, UNLPam, v. 15, n. 1, p. 165-184, 2011.

MANZANO, V. Ha llegado “la nueva ola”: música, consumo popular y juventud en la Argentina, 1956-1966. In: COSSE, I.; FELITTI, K.; MANZANO, V. (Org.). Los ‘60 de otra manera. Vida cotidiana, género y sexualidades en la Argentina. Buenos Aires: Prometeo, 2010. p. 19-60.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902