Sintomas do mal-estar na universidade brasileira: onde estamos e para onde vamos?

Autores

  • Claudia Andréa Mayorga Borges Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil.
  • Fernanda Costa-Moura
  • Sabrina Dal Ongaro Savegnago

DOI:

https://doi.org/10.54948/desidades.v0i24.30906

Resumo

O encontro aqui transcrito discute os sintomas do mal-estar na Universidade brasileira e
aponta pistas em relação a como re-situar o papel da Universidade pública na construção
de mediações simbólicas necessárias ao debate público dos desafios do tempo presente.
Discute-se a condição subjetiva dos alunos incluídos pelos processos de democratização das
universidades e o tipo de herança que se constitui com as cotas, sociais e raciais, que demanda
que a Universidade repense seu modo de operar. Defende-se que a ação universitária deva ser
mais participativa na sociedade, através de programas de extensão, por exemplo, bem como
se evidencia que está ao seu alcance buscar uma maior integração, no sentido de aproximar
disciplinas distintas, mas necessárias à ação em um campo comum.
Palavras-chave: universidade pública; transmissão; extensão universitária.

Downloads

Publicado

2019-12-04