Escola e Projetos de Vida: o que dizem os(as) jovens sertanejos(as) de Alagoas

Isabel Cristina Oliveira da Silva, Ana Maria Freitas Teixeira

Resumo


O artigo problematiza os projetos de vida e a relação com a escola de jovens alunos do 3° ano do ensino médio do sertão de Alagoas, cidade Delmiro Gouveia. Tratam-se de resultados parciais da dissertação de mestrado desenvolvida numa perspectiva quali-quantitativa, por meio de questionário estruturado envolvendo 116 jovens, entrevista coletiva com nove alunos(as) e observações da rotina escolar. Refletimos sobre a importância dos projetos de vida para a mudança social dos(as) jovens, num cenário em que o contexto da seca, frequentemente explorado pelas mídias, invisibiliza outros aspectos igualmente relevantes, a saber, a escolarização, os sonhos, a luta por dias melhores. Os desafios que permeiam esses projetos emergem nas falas dos(as) alunos(as), indicando os aspectos subjetivos e estruturais que se entrecruzam constantemente. Ser alguém na vida e colaborar com o sustento da família de origem foram dois eixos comuns aos depoimentos dos(as) jovens que estão no último ano do ensino médio.

palavras-chave: ensino médio, juventude, jovens, projetos de vida.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, M. Z.; DAYRELL, J. Ser alguém na vida: um estudo sobre jovens do meio rural e seus projetos de vida. Educ. Pesquisa, São Paulo, v.4, n. 2, p. 375-390, 2005.

CHARLOT, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artmed, 2000.

CARNEIRO, M. Ruralidade: novas identidades em construção. Revista Estudos, sociedade e agricultura, CPDA/UFRRJ, Rio de Janeiro, 1997.

CARNEIRO, M. Juventude rural: projetos e valores. In: ABRAMO, H. W.; BRANCO, P. P. M. (Org.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Instituto Cidadania, Editora Fundação Perseu Abramo, 2005. p. 243-261.

CASTRO, E. G. de et al.. Os jovens estão indo embora? Juventude rural e a construção de um ator político. Rio de Janeiro: Mauad X; Seropédica, RJ: EDUR, 2009.

CASTRO, I. E. de. Natureza, imaginário e a reinvenção do Nordeste. In. ROSENDAHL, Z.; CORRÊA, R. L. (Org.). Paisagem, imaginário e espaço. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2001. p. 103-133.

CASTRO, I. E. de. Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

LEÃO, G.; DAYRELL, J. T.; REIS, J. B. dos. Juventude, projetos de vida e ensino médio. Revista Educ. Soc., Campinas, v. 32, n. 117, p. 1067-1084, 2011.

NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (Org.). Pierre Bourdieu. Escritos de Educação. 16. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

SILVA, I. C. O. da. Juventudes e expressividades musicais no espaço escolar do Alto Sertão de Alagoas. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Sergipe, 2018.

TEXEIRA, A. M. F. Entre a escola pública e a universidade: longa travessia para jovens de origem popular. In: SAMPAIO, S. M. R. Observatórios da vida estudantil: primeiros estudos. Salvador: EDUFBA, 2011.

WELLER, W. Jovens no ensino médio: projetos de vida e perspectivas de futuro. In. DAYRELL, J. T.; CARRANO, P.; MAIA, C. L. (Org.). Juventude e Ensino Médio: sujeitos e currículos em diálogos, 2014. p. 135-154.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 DESIDADES - Revista Eletrônica de Divulgação Científica da Infância e Juventude

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902