Juventude em rede: os sentidos que os jovens atribuem ao político e à política brasileira

Elise do Socorro Gomes Barroso, Ana Paula Vieira e Souza, Joana D’Arc de Vasconcelos Neves

Resumo


O propósito deste trabalho foi o de identificar as representações sociais expressas através da rede social Facebook em relação ao momento político brasileiro, diante de um ano eleitoral, com foco nos seguintes aspectos: o político; a política; o contexto político/social e a perspectiva futura política do Brasil. A metodologia se deu por meio da observação não participante,
com base no campo das representações sociais. Com a análise dos dados levantados, foi possível constatar que, assim como jovens de vários outros locais do país, os desta pesquisa também mostram interesse pelo tema em destaque e expressam suas opiniões e descontentamentos com a realidade do país. Verificou-se também que os jovens estão mais atentos às questões políticas e tudo o que acontece na sociedade e que afeta direta ou indiretamente cada um deles, demonstrando saber discernir com maturidade o que é repassado pelos meios de comunicação.


Palavras-chaves: juventude, redes sociais, representações sociais.


Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMO, H. W. Cenas juvenis. 1. ed. São Paulo: Página aberta, 1994.

ALEXANDRE, M. O papel da mídia na difusão das representações sociais. Comum, Rio de Janeiro, v.6, n. 17, p. 111-125, jul/dez. 2001

ALMEIDA, A. A. L.; ALMEIDA, S. G. M.; RODRIGUES, R. S. Redes sociais: As vantagens e desvantagens da comunicação virtual. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XXI Prêmio Expocom 2014 – Exposição de pesquisa experimental em comunicação.

CAMINO, L.; LIMA, M. E. O.; TORRES, A. R. R. Ideologia e espaço político em estudantes universitários. In: Camino, L.; Lhullier, L.; Sandoval, S. A. (Org.). Estudos sobre comportamento político. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1997. p. 87-105.

CARRANO, P. A participação social e política de jovens no Brasil: considerações sobre estudos recentes. O social em questão, Rio de Janeiro, v. 15, n. 27, p. 83-100. 2012

COUTINHO, C. P.; BOTTENTUIT JR, J. B. Blog e wiki: os futuros professores e as ferramentas da web 2.0. In: SIIE, 2007, Porto.

DAYRELL, J. O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 40-52. set./out./nov./dez. 2003

DUVEEN, G. O Poder das Ideias. In: MOSCOVICI, S. Representações Sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012. p. 7-28.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Relatório sobre o Índice de confiança na justiça brasileira (ICJ Brasil). Disponível em: https://direitosp.fgv.br/publicacoes/icj-brasil Acesso em: 20 ago. 2018.

GAMA, Z. A ponte para o futuro e educação nacional: de volta para o passado. In: PRONER, C. et al. (Org.). A resistência ao golpe de 2016. Bauru, São Paulo: Ed. Canal 6, 2016. p. 423-425.

GOHN, M. G. Jovens na política na atualidade: uma nova cultura de participação. Cad. CRH, Salvador, v.31, n. 82, p. 117-133, jan./abr. 2018

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (Org.) As Representações Sociais. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2001. p. 17-44.

MANCEBO, D. Crise político-econômica no Brasil: Breve análise da educação superior. Educ. Soc., Campinas, v. 38, n. 141, p.875-892, out./dez. 2017

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa; Elaboração, análise e interpretação de dados. São Paulo: Ed. Atlas S. A., 2007.

MOSCOVICI, S. On social representation. In: FORGAS, J. P. (Org). Social cognition. Londres: Academic Press, 1981. p. 181.

NOGUEIRA, T. G. S. O impeachment de Dilma Vana Rousseff: qualquer semelhança com a história é mera coincidência. VirtuaJus, Belo Horizonte, v.12, n.28, p. 244-253. 2016

PERALVA, A. O jovem como modelo cultural. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 5/6, p. 15-24, set./out./nov./dez. 1997

PINTO, C. R. J. A trajetória discursiva das manifestações de rua no Brasil (2013-2015). Lua Nova, São Paulo, n. 100, p. 119-153. 2017.

TREVISOL, M. G. Ação comunicativa e pedagogia: alguns apontamentos sobre educação e mídia. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE FILOSOFIA EDUCAÇÃO, 5, 2010, Caxias do Sul.

SANTOS, W.G. Cidadania e justiça: a política social na ordem brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1979.

UGARTE, D. O poder das redes: manual ilustrado para pessoas, organizações e empresas,

chamadas para o ciberativismo. Nova série, São Paulo, v.4, n. 1, p. 169-172, jun./Jul. 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 DESIDADES - Revista Eletrônica de Divulgação Científica da Infância e Juventude

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902