Além do patriarcado: a infância e a maternidade em Nietzsche

Leandro Drivet

Resumo


Principalmente em Assim Falou Zaratustra, Nietzsche focaliza a infância e faz aportes
significativos para o desenvolvimento de uma perspectiva que tenha, como objeto de estudo
específico, o mundo da infância. Confrontado com a redução da infância (ou de parte dela) à
“minoria de idade”, e com as exigências utilitárias ou ascéticas da moralidade convencional,
Nietzsche postula o “país dos filhos” e sonha com uma “segunda inocência”. Ela é equivalente
à consumação dos ideais estéticos e éticos do super-homem. Suas contribuições para uma
reflexão sobre a infância destacam a violência social específica contra as crianças, e estão
intrinsecamente ligadas à redefinição do “materialismo” que concebeu contra a exageração
religiosa do pudor e a idealização romântica da infância.
Palavras-chave: materialismo, infância, Nietzsche, patriarcado.


Texto completo:

PDF

Referências


AGUSTÍN, S. Confesiones. Buenos Aires: Lumen, 1999.

BATAILLE, G. Las lágrimas de Eros. Tradução D. Fernández. 4. ed. Barcelona: Tusquets, 2007.

BUTLER, J. Cuerpos que importan. Sobre los límites materiales y discursivos del “sexo”. 2. ed. Buenos Aires: Paidós, 2008.

DERRIDA, J. Seminario La bestia y el soberano. Volumen I (2001-2002). Tradução C. de Peretti; D. Rocha. 1. ed. Buenos Aires: Manantial, 2010.

DUMÉ, D. Acerca del vocabulario asociado a la educación. Inédito. 2015.

EL LIBRO DEL PUEBLO DE DIOS. LA BIBLIA. 7. ed. Ediciones Paulinas: Madrid, 1992.

ELÍAS, N. El proceso de civilización: investigaciones sociogenéticas y psicogenéticas. México: FCE, 1993 (Original de 1939).

FOUCAULT, M. La lucha por la castidad. In: ARIÈS, P. et. al. (Org.). Sexualidades Occidentales. Barcelona: Paidós, 1987. p. 34-50.

FREUD, S. La etiología de la histeria. In: FREUD, S. Obras completas. Buenos Aires: Amorrortu, 2006 (Original de 1896). Tomo III. p. 185-218.

FREUD, S. La interpretación de los sueños. In: FREUD, S. Obras completas. Buenos Aires: Amorrortu, 1991 (Original de 1900). Tomos IV e V. p. 345-612.

FREUD, S.; ZWEIG, A. Correspondencia, 1927-1939. Barcelona: Gedisa, 2000.

FRIGERIO, G. La división de las infancias: ensayo sobre la enigmática pulsión antiarcóntica. Buenos Aires: Del estante, 2008.

LAPLANCHE, J. Nuevos fundamentos para el psicoanálisis: la seducción originaria. Tradução S. Bleichmar. Buenos Aires: Amorrortu, 2001 (Original de 1987).

LE GOFF, J. Y.; TRUONG, N. Una historia del cuerpo en la edad media. Barcelona: Paidós Ibérica, 2005.

MONZÓN, I. Abuso sexual: violencia de la desmentida. 2009. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2014.

NIEMEYER, C. (Org.). Diccionario Nietzsche. Conceptos, obras, influencias y lugares. Tradução I. de los Ríos; S. Santana; J. L. Puertas; J. Planells. Madrid: Biblioteca Nueva, 2012.

NIETZSCHE, F. El nacimiento de la tragedia. Tradução A. Sánchez Pascual. Madrid: Alianza, 1994 (Original de 1872).

NIETZSCHE, F. Así habló Zaratustra. Tradução A. Sánchez Pascual. Madrid: Alianza, 2007 (Original de 1883-1885).

ROZITCHNER, L. La Cosa y la Cruz. Cristianismo y Capitalismo (En torno a las confesiones de San Agustín). Buenos Aires: Losada, 2001.

ROZITCHNER, L. Materialismo ensoñado. Ensayos. Buenos Aires: Tinta Limón, 2011.

SCHAEFFER, J. M. El fin de la excepción humana. Buenos Aires: FCE, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 DESIDADES - Revista Eletrônica de Divulgação Científica da Infância e Juventude

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902