Narrativas (auto)biográficas de jovens lideranças: pedagogias emergentes na participação em grêmios estudantis

Alexsandro Santos Machado, Irene Reis Santos, Rafael Arenhaldt

Resumo


Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa sobre a participação de jovens de grêmio estudantil de escolas de Mogi das Cruzes, São Paulo, Brasil. Tem como objetivo analisar narrativas (auto)biográficas desses gremistas, captando pedagogias que emergem neste processo de implicação de si com o outro, em convivência. Perguntamos:o que pensam sobre a sua participação? Quais são os obstáculos e como conseguem superá-los? Qual é a importância do fomento ao grêmio estudantil para o desenvolvimento dessas juventudes? Metodologicamente, fizemos entrevistas-diálogo, gerando narrativas (auto)biográficas orais e escritas. Os dados foram analisados por meio de uma hermenêutica prática, a partir dos processos de biografização e heterobiografização dos entrevistados. Por fim, apresentamos reflexões sobre as pedagogias múltiplas e emergentes que estabelecem redes de apoio e amparo entre os sujeitos das comunidades de aprendizagens evidenciadas nas pedagogias da confiança, do gesto e da ascese. 


Texto completo:

PDF

Referências


BARBIER, R. A escuta sensível em educação. Cadernos ANPED, Niterói, n. 5, p. 187-216, set. 1993.

BARBIER, R. A pesquisa-ação. Tradução Lucie Didio. Brasília: Liber Livro Editora, 2007.

BECKER, H. S. Métodos de pesquisa em ciências sociais. 3 ed. São Paulo: Hucitec, 1997.

CUNHA, A. G. da. Dicionário etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa. 2 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.

DAYRELL, J. A trajetória do Observatório da juventude da UFMG. In: DAYRELL, J. (Org.). Por uma pedagogia das juventudes: experiências educativas do Observatório da Juventude da UFMG. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2016. p. 17- 78.

DELORY-MOMBERGER, C. Biografia e Educação: figuras do indivíduo-projeto. 2 ed. Tradução e revisão científica Maria da Conceição Passeggi, João Gomes da Silva Neto, Luis Passeggi. Natal: EDUFRN, 2014.

DINELLO, R. Tratado de Educación. Propuesta pedagógica del nuevo siglo. Montevideo: Editorial Grupo Magró, 2007.

FEIXA, C. P. De Jóvenes, bandas y tribus. Antropología de la juventud. Barcelona: Editorial Ariel, 1999.

FEIXA, C. P. Generación @ la juventud en la era digital. Nómadas, Bogotá, n. 13, p. 75-91, out. 2000. Disponível em: . Acesso em 30 out. 2019.

FERNANDES, C. Gente/Gentificação. In: STRECK, D. R.; REDIN, E.; ZITKOSKI, J. J. (Orgs.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018. p. 234-235.

FIORI, E. M. Aprender a dizer sua palavra (Prefácio). In: FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

JOSSO, M-C. A experiência de vida e formação. 2 ed. Tradução José Cláudio, Julia Ferreira; revisão científica Maria da Conceição Passeggi, Marie-Christine Josso. rev. e ampl. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

LIDELL AND SCOTT’S. Greek – English Lexicon: an intermediate. New York: Oxford Press, s/d.

MACHADO, A. S. Contar para viver: o (re)conhecimento da vontade de potência dos educadores pela narração de suas histórias de vida. Porto Alegre: Nova Prova, 2005.

MACHADO, A. S.; ARENHALDT, R. O projeto juventude em ação e suas pedagogias: narrativas acon-tecidas e emergentes. In: CAYE, M. M. (Org.). Projeto liderança - juventude em ação: protagonismo juvenil e perspectivas. Lajeado: Ed. da Univates, 2016. p. 117-135.

MACHADO, A. S.; SANTOS, I. R. O sentido de participar em comunidade: desenvolvimento social da juventude. In: PASSEGGI, M. C. et al. (Orgs.). Pesquisa (auto)biográfica em educação: Infâncias e adolescências em espaços escolares e não escolares. Natal: EDUFRN, 2018. p. 415-432.

MAFFESOLI, M. No fundo das aparências. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.

MORIN, E. Sociologia. Madrid: Tecnos, 1996.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2007.

MORIN, E.; DÍAZ, C. J. D. Reinventar a educação: abrir caminhos para a metamorfose da humanidade. Tradução Irene Reis dos Santos. São Paulo: Palas Athena, 2016.

PACHECO, J. Inovar é um compromisso ético com a Educação. Petrópolis: Vozes, 2019.

PASSEGGI, M. C. Narrar é humano! Autobiografar é um processo civilizatório. In: PASSEGGI, M. C.; SILVA, V. B. (Orgs.). Invenções de vidas, compreensão de itinerários e alternativas de formação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. p. 103-130.

PASSEGGI, M. C. Narrativa, experiencia y reflexión auto-biográfica: por una epistemología del sur en educación. In: ARANGO, G. J. M. (Org.). Narrativas de experiencia en educación y pedagogía de la memoria. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Editorial de la Facultad de Filosofía y Letras Universidad de Buenos Aires, 2015. p. 103-132.

PASSEGGI, M. C.; NASCIMENTO, G.; OLIVEIRA, R. As narrativas autobiográficas como fonte e método de pesquisa qualitativa em Educação. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, n. 33, p. 111-125, 2016.

PERONDI, M. Narrativas de jovens: experiências de participação social e sentidos atribuídos às suas vidas. 2013. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

PERONDI, M.; VIEIRA, P. M. A construção social do conceito de juventudes. In: PERONDI, M. et al. (Orgs.). Infâncias, adolescências e juventudes na perspectiva dos direitos humanos: Onde estamos? Para onde vamos? Porto Alegre: EDIPUCRS, 2018.

RICOEUR, P. Tempo e Narrativa. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

VALENZUELA, J. M. El futuro ya fue: socioantropología de l@s jóvenes en la modernidad. México: El colegio de la Frontera Norte, 2014.

WRIGHT-MILLS, C. A Imaginação Sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores,1972.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902