O recurso da “metodologia de cartas” como forma de captura dos fluxos urbanos de jovens contemporâneos

Autores

  • Victor Hugo Nedel Oliveira
  • Andreia Mendes Dos Santos
  • Miriam Pires Corrêa De Lacerda

DOI:

https://doi.org/10.54948/desidades.v0i27.37749

Resumo

O presente artigo busca apresentar uma técnica de coleta de dados do fluxo urbano de jovens contemporâneos a partir do que se denominou metodologia de cartas. A técnica propõe a análise do conteúdo das cartas escritas por jovens para um visitante hipotético em sua cidade, o qual teria vinte e quatro horas de convivência para apresentar seus locais de interesse e seus itinerários com o convidado. Para discutir a aplicação metodológica, realizou-se um estudo de caso com 24 jovensestudantes do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, tendo como recorte espacial a cidade de Porto Alegre. Os resultados apontam que os locais públicos e de lazer predominam para os jovens participantes da pesquisa, bem como se pode constatar uma visão sobre a cidade ser perigosa e insegura. Percebeu-se, em diversas cartas, que o itinerário escrito passou por lugares em que estes jovens escolarizados circulam em sua rotina. 

Referências

BEZERRA, M. A. Por que cartas do leitor na sala de aula. In: DIONISIO, A. P. et al. Gêneros Textuais e Ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2003. p. 19-36.

BORELLI, S. H. S.; ROCHA, R. d. M. Juventudes, Midiatizações e nomadismos: a cidade como arena. Comunicação, mídia e consumo, São Paulo, v. 5, n.13, p.27-40, jul. 2008.

CAMARGO, M. R. R. M. d. Cartas Adolescentes. Uma leitura e modos de ser. In: MIGNOT, A. C. V. et al. Refúgios do eu: educação, história e escrita autobiográfica. Florianópolis: Mulheres, 2000. p. 131-150.

CARRANO, P. C. R. Juventudes e Cidades Educadoras. Petrópolis: Editora Vozes, 2003.

CLARK, D. Introdução à Geografia Urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991.

FEIXA PAMPOLS, C. La ciudad invisible: territórios de las culturas juveniles. In: MARGULIS, M.; CUBIDES, H.; VALDERRAMA, C. Viviendo a toda: jóvenes, territórios culturales y nuevas sensibilidades. Santa Fé de Bogotá: Universidad Central; Siglo Del Hombre, 1998. p. 83-109.

IBGE. Censo Demográfico 2010. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/. Acesso em: 01 abr. 2019.

OLIVEIRA, V. H. N.; LACERDA, M. P. C. D. Culturas Juvenis e Pertencimento Urbano: Mapeando os Fluxos Juvenis na Cidade. Revista FSA, Faculdade Santo Agostinho, v. 15, p. 110-124, 2018a.

OLIVEIRA, V. H. N. Jovens e Cidade: um Estudo sobre a urbanidade de Jovens Contemporâneos. In: OLIVEIRA, V. H. N. (Org.). Pesquisa em Educação e em Juventudes: Inquietações Cotidianas. 1. ed. Beau Bassin: Novas Edições Acadêmicas, 2018b. p. 127-152.

OLIVEIRA, V. H. N. Pesquisa em Educação e em Juventudes: Inquietações Cotidianas. 1. ed. Beau Bassin: Novas Edições Acadêmicas, 2018a.

OLIVEIRA, V. H. N. Jovens olhares sobre a cidade: lugares e territórios urbanos de estudantes porto-alegrenses. Projeto de Tese (Doutorado em Educação) – Escola de Humanidades. Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018b.

OLIVEIRA, V. H. N. (De)marcando a cidade: vivências urbanas de jovens-estudantes do Colégio de Aplicação da UFRGS. Revista Cadernos do Aplicação, Porto Alegre, v. 31, p. 71-85, jan./jul. 2018c.

OLIVEIRA, V. H. N. Jovens olhares sobre a cidade: lugares e territórios urbanos de estudantes porto- alegrenses. Tese (Doutorado em Educação) – Escola de Humanidades. Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2020.

PAIS, J. M. Culturas Juvenis. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2003.

PAIS, J. M.Ganchos, Tachos e Biscates. Jovens, Trabalho e Futuro. Porto: Ambar, 2001.

REYES, P. Quando a rua vira corpo ou a dimensão pública na ordem digital. Rio Grande do Sul: Editora Unisinos, 2005.

SANTOS, M. A natureza do espaço: Técnica e Tempo. Razão e Emoção. São Paulo: Hucitec, 1997.

SIERRA BLAS, V. Escrebir y servir: las cartas de una criada durante el franquismo. Signo. Revista de Historia de la Cultura Escrita, Universidad de Alcalá de Henares, n. 10, p. 121-140, 2002.

WULFF, H. Introducting youth culture in its own rigth: the state of the art and new possibilites. In: AMIT-TALAI, V.; WULFF, H. Youth cultures: a cross-cultural perspective. London: Routledgs, 1995.

Downloads

Publicado

2020-08-26

Edição

Seção

TEMAS EM DESTAQUE