A influência da iluminação nas emoções de jovens no contexto da pandemia de COVID-19

Juliana Mara Batista Menezes Hybiner, Giselle Arteiro Nielsen Azevedo

Resumo


Desde a eclosão do COVID-19 no início de 2020, o isolamento social faz parte do nosso cotidiano. Hábitos foram modificados, fazendo com que passássemos cada vez mais tempo em nossos lares, alternando entre os afazeres da vida pessoal e profissional. O presente estudo contemplou opiniões de jovens entre 21 a 29 anos do curso de Arquitetura e Urbanismo, entre o período de maio a junho e, posteriormente, no dia 20 de setembro de 2020. Através de observação incorporada, registros cotidianos e croquis de campo, os jovens registraram seu cotidiano alterado devido ao regime de quarentena. A pesquisa revelou que as emoções positivas apresentadas estão diretamente relacionadas a lugares com condições de conforto luminoso adequado, incluindo aberturas para o exterior e contato com a natureza. Ambientes com ausência das condições favoráveis relatadas neste estudo, além de influenciarem de modo negativo as emoções, poderão comprometer o senso de identidade desses jovens.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, M.; ANDRADE, E. R.; ESTEVES, L. C. G. (org). Juventudes: outros olhares sobre a diversidade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; UNESCO, 2008

ALARCÃO, I. (Org.). Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto: Porto Editora, 1996.

BARROS, M. B. de A. et al. Relato de tristeza/depressão, nervosismo/ansiedade e problemas de sono na população adulta brasileira durante a pandemia de COVID-19. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 29, n. 4, p. e2020427, 2020.

BOTTON, A. Arquitetura da Felicidade (The architecture of Happiness). Tradução de Talita Rodrigues. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2007.

BOYCE, P. R. Human factors in lighting. New York, 3 a ed. Crc Press, 2014.

BRASILEIRO, A. Proposta metodológica para identificação de aspectos culturais dos usuários em ambientes de escritório. In: DUARTE, C. R.; PINHEIRO, E. ArquiTividades SubjeTeturas: metodologias para análise sensível do lugar. Rio de Janeiro, Rio Books, 1ª ed. 2020.

BRONFENBRENNER, U. A ecologia do desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

BROOKS, A. S.; SMITH, C. C. Ishango revisited: new age determinations and cultural interpretations. African Archaeological Review, London, v. 5, n. 1, p. 65-78, 1987.

CARLUCCI, S. et al. A review of índices for assessing visual comfort with a view to their use in optimization processes to support building integrated design. Renewable & Sustainable Energy Reviews. Amsterdam, v. 47, p. 1016-1033, abr. 2015.

CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. (2020). Social distancing, quarantine, and isolation: keep your distance to slow the spread. Atlanta: Author. Retrieved Disponível em: . Acesso em 20 set. 2020.

CIE Position Statement on Non-Visual Effects of Light – Recommending proper light at the proper time, 2nd edition. Disponível em: . Acesso em 20 set. 2020.

COSTA, L. L. L. A luz como modeladora do espaço na Arquitetura. Tese (Mestrado em Arquitetura). Universidade da Beira Interior, Covilhã, 2013.

DETANICO, F. B. et al. Emoções positivas no uso do espaço construído de um campus universitário associadas aos atributos do design biofílico. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 19, n. 4, p. 37-53, 2019.

ERIKSON, E. H. Identidade, juventude e crise. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.

ESTADO DA ARTE. As lições emocionais da COVID-19. Disponível em: < https://estadodaarte.estadao.com.br/licoes-emocionais-covid-19/>. Acesso em 11 fevereiro de 2021.

FERNANDES, Í. P. Iluminação e sua influência no espaço urbano noturno: as impressões do usuário no processo de planejamento da luz. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

FREDRICKSON, B.; TUGADE, M.; WAUGH, C. What Good Are Positive in Crises? Journal of personality and Social Psychology, Washington, v. 84, n. 2, p. 365-376, 2003.

FREITAS-MAGALHÃES, A. A psicologia das emoções - O fascínio do rosto humano. Porto, Leya, 2013.

GARCIA, R. Neurobiologia do medo e fobias específicas. Aprendizagem e memória, v. 24, n. 9, p. 462-471, 2017.

GASTAUD, M. B. et al. Como cuidar da saúde mental das crianças em quarentena? Pensamento Contemporâneo Psicanálise e Transdisciplinaridade, Porto Alegre, v. 2, n. 1, p. 79-94, 2020.

HUANG, C. et al. Clinical features of patients infected with 2019 novel coronavirus in Wuhan, China. Lancet. v. 395, n. 10223, p. 497-506, 2020

INFORME, E. N. S. P. et al. Ansiedade, abuso de álcool, suicídios: pandemia agrava crise global de saúde mental. Rio de Janeiro, Fiocruz, 2020.

JIAO, W. Y. et al. Distúrbios comportamentais e emocionais em crianças durante a epidemia de COVID-19. The journal of Pediatrics, New York, v. 221, p. 264, 2020.

KIM, G. et al. Comparative advantage of an exterior shading device in thermal performance for residential buildings. Energy and Buildings, [S.l.], v. 46, p. 105–111, 2012.

KIMMEL, D. C.; WEINER, I. La adolescencia: una transición del desarrollo. Ariel, 1998.

MARCIA, J. E. Development and validation of ego-identity status. Journal of personality and social psychology, v. 3, n. 5, p. 551, 1966.

MARTAU, B. T. et al. A luz além da visão: iluminação e sua relação com a saúde e bem-estar de funcionárias de lojas de rua e de shopping centers em Porto Alegre. Tese (doutorado) – Unicamp, Campinas – SP, 2009.

MARTAU, B. T. Desafios da Iluminação saudável [Webinar]. Interlight Iluminação. Disponível em: . Acesso em 20 set. 2020.

MEIRELLES, A. F. V. et al. COVID-19 e Saúde da Criança e do Adolescente. Rio de Janeiro: IFF/ Fiocruz, 2020.

MIGUEL, F. K. Psicologia das emoções: uma proposta integrativa para compreender a expressão emocional. Psico-usf, Aracajú, v. 20, n. 1, p. 153-162, 2015.

MONK, T. H. Stress and fatigue in human Performance. New York: Wiley, 1983.

MORETTI, S. A.; GUEDES-NETA, M. L.; BATISTA, E. C. Nossas Vidas em Meio à Pandemia da COVID-19: Incertezas e Medos Sociais. Revista Enfermagem e Saúde Coletiva-REVESC, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 32-41, 2020.

NAZZAL, A. A. A new evaluation method for daylight discomfort glare. International Journal of Industrial Ergonomics 35, p. 295-306, 2005.

OPAS – Organização Pan-Americana de Saúde (2020). Entendendo a infodemia e a desinformação na luta contra a COVID-19. Disponível em: . Acesso em 31 ago. 2020.

ORGILÉS, M. et al. Immediate psychological effects of the COVID-19 quarantine in youth from Italy and Spain. Frontiers in Psychology, Lausanne, v.11, p. 2986, 2020.

POSSA, A. A. da C. et al. Iniciativas comportamentais para redução da evasão escolar dos jovens de 15 a 29 anos em tempos de pandemia. Boletim Economia Empírica, Brasília, v. 1, n. 4, 2020.

REIS, J. Palavras para além da pandemia: cem lados de uma crise. Coimbra, Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, 2020.p.120.

RHEINGANTZ, P. A. et al. Observando a Qualidade do Lugar: procedimentos para a avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro: Proarq/FAU-UFRJ, 2009.

SCHOEN-FERREIRA, T. H.; AZNAR-FARIAS, M.; SILVARES, E. F. de M. A construção da identidade em adolescentes: um estudo exploratório. Estudos de Psicologia. Natal, v. 8, n. 1, p. 107-115, 2003.

SHIGEMURA, J. et al. Public responses to the novel 2019 coronavirus (2019‐nCoV) in Japan: Mental health consequences and target populations. Psychiatry and clinical neurosciences. v. 74, n. 4, p. 281, 2020. Disponível em: . Acesso em 31 ago. 2020.

SHIN, L. M.; LIBERZON, I. The neurocircuitry of fear, stress, and anxiety disorders. Neuropsychopharmacology, Brentwood, v. 35, n. 1, p. 169-191, 2010.

SMIRNOV, A. A. Las emociones y los sentimientos. Smirnov, AA, Leontiev, AN, Rubishtein, SL, Tievplov, BM Psicologia. México: Editora Grijalbo SA, 1969. p. 355-381.

SOUZA, C. F. de. O espaço e a sensibilidade dos cidadãos. Arqtexto. Porto Alegre. N. 3/4, 2003, p. 72-83, 2003.

VASCONCELOS, R. T. B. et al. Humanização de ambientes hospitalares: características arquitetônicas responsáveis pela integração interior/exterior. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

VOGELS, I. M. L. C. Atmosphere metrics: a tool to quantify perceived atmosphere. In: International symposium creating an atmosphere. (Grenoble) 2008. p. 1-6.

WURTMAN, R. J.; BAUM, M. J.; POTTS, J. T. The Medical and Biological Effects of Light. New York: The New York Academy of Sciences, 1985.

ZANON, C. et al. COVID-19: implicações e aplicações da Psicologia Positiva em tempos de pandemia. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 37, 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902