Os “nós” da rede: a construção de ações intersetoriais na prevenção ao uso de drogas com jovens escolares

Edna Linhares Garcia, Mariana Soares Teixeira, Kamilla Mueller Gabe, Gabriela da Silva Oliveira, Denise Vidal, Rayssa Madalena Feldmann, Letiane de Souza Machado

Resumo


A adolescência é definida como um momento de procura por aceitação que faz o jovem suscetível ao uso de substâncias psicoativas. Nesse sentido, o presente artigo constitui um recorte da pesquisa Narrativas de adolescentes sobre drogas e os Serviços de Saúde Mental CAPSia e CAPSad: intersecções possíveis no contexto de Santa Cruz do Sul cujo objetivo é analisar o lugar da droga na constituição do sujeito e seus efeitos, bem como as questões da intersetorialidade na rede básica do município quanto à promoção de saúde e à prevenção do uso e abuso de droga por escolares. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com profissionais de saúde responsáveis pelo Programa Saúde na Escola (PSE). Os resultados apontaram distanciamento entre as instituições saúde e educação, demonstrando escassez de estratégias para uma intervenção para com os adolescentes. Diante isso, faz-se urgente o desenvolvimento de ações que busquem dar conta da articulação entre as instituições saúde e educação.

Texto completo:

PDF

Referências


AMADOR, F. S.; LAZZAROTTO, G. D. R.; SANTOS, N. I. S. dos. Pesquisar-Agir, Pesquisar-Intervir, Pesquisar-Interferir. Revista Polis e Psique, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 228-248, ago. 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2020.

BASTOS, F. I. P. M. et al. III Levantamento Nacional Sobre O Uso De Drogas Pela População Brasileira. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ)/Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD), 2017.

BISPO, E. P. de F.; TAVARES, C. H. F.; TOMAZ, J. M. T. Interdisciplinaridade no ensino em saúde: o olhar do preceptor na Saúde da Família. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 18, n. 49, p. 337-350, 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2020.

BOCK, A. M. B. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. 15 ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2018.

BRAATZ, M. B. et al. Narrativas de adolescentes sobre drogas: família, escola e o paradigma da abstinência. In: JORNADA DE PESQUISA EM PSICOLOGIA, 6., 2017, Santa Cruz do Sul. Anais [...]. Santa Cruz do Sul: UNISC, 2017. p. 1-13. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2020.

BRASIL. Decreto n° 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa de Saúde na Escola – PSE, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 6 dez. 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização da Saúde. Gestão participativa e cogestão. Brasília: MS, 2009.

BRASIL. Portaria nº 687, de 30 de março de 2006. Aprova a Política de Promoção da Saúde. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30 mar. 2006.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 set. 1990.

CORSO, D. L.; CORSO, M. Adolescência em cartaz: filmes e psicanálise para entendê-la. Porto Alegre: Artmed, 2018.

GABE, K. M. et al. O fenômeno da droga e os dispositivos de cuidado em saúde: percepções de adolescentes escolares. Revista Jovens Pesquisadores, Santa Cruz do Sul, v. 10, n. 1, p. 1-12, fev. 2021. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2021.

GARCIA, E. L. et al. Conhecendo o perfil do usuário de crack de Santa Cruz do Sul. Barbarói, Santa Cruz do Sul, v. 36, ed. esp., p. 83-95, 2012. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2020.

GARCIA, E. L. et al. VI Fórum de discussão sobre drogas na contemporaneidade: encontros transformadores de sentidos a partir da extensão universitária. In: GONÇALVES, B. D.; FIOR, C. A.; OLIVEIRA, V. P. de. (Orgs.). A pergunta e os métodos: percursos metodológicos em Psicologia. 1ed. Curitiba: Editora CRV, 2019a. p. 347-362.

GARCIA, E. L. et al. Redução de danos: a construção do ato nômade e do cuidado compartilhado. Revista Cesumar, v. 24, n. 1, p. 9-27, 2019b. Disponível em: . Acesso em: 10 de mar. 2021.

GARCIA, E. L.; MACHADO, L. S.; FELDMANN, R. M. Narrativas de adolescentes sobre drogas e os Serviços de Saúde Mental CAPSia e CAPSad: intersecções possíveis no contexto de Santa Cruz do Sul: Histórico, percursos e perspectivas. In: GARCIA, E. L.; MACHADO, L. S.; FELDMANN, R. M. (Orgs.). Prevenção ao uso de drogas na adolescência: um caminho que inicia pela escuta. 1 ed. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2020. p. 21-32. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2021.

FELDMANN, R. M. et al. Adolescência e os sentidos produzidos acerca da drogadição. Revista Jovens Pesquisadores, Santa Cruz do Sul, v. 9, n. 2, p. 37-47, 2019. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2020.

FOUCAULT, M. O nascimento da clínica. 1 ed. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1977.

MEDEIROS, C. R. G. et al. A rotatividade de enfermeiros e médicos: um impasse na implementação da Estratégia de Saúde da Família. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, supl. 1, p. 1521-1531, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2020.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Documentos básicos. 45 ed. Genebra: OMS, 2006. Disponível em: . Acesso em: 21 set. 2020.

PAULON, S. M.; ROMAGNOLI, R. C. Pesquisa-intervenção e cartografia: melindres e meandros metodológicos. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 85-102, jan. 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2020.

SANTOS, T. M. et al. Fórum sobre Drogas: articulando ensino, pesquisa e extensão. In: ALMEIDA, P. C.; KLAFKE, T. E. (Orgs.). Ensino e extensão na Unisc: Prêmio Honra ao Mérito 2017. 1ed. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2018. p. 73-83. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2021.

SCHERER, M. D. dos A.; PIRES, D. E. P. de; JEAN, R. A construção da interdisciplinaridade no trabalho da Equipe de Saúde da Família. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 11, p. 3203-3212, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2020.

SPINK, M. J. Linguagem e produção de sentidos no cotidiano. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2020.

TONELLI, B. et al. Rotatividade de profissionais da Estratégia Saúde da Família no município de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Revista da Faculdade de Odontologia - UPF, Passo Fundo, v. 23, n. 2, p. 180-185, out. 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2020.

TOROSSIAN, S. D.; CANNAS, C. L. R.; AMARAL, B. P. Adolescência e prevenção ao uso de drogas: garimpando outras palavras. In: GARCIA, E. L.; MACHADO, L. S.; FELDMANN, R. M. Prevenção ao uso de drogas na adolescência: um caminho que inicia pela escuta. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2020. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2020.

UNITED NATIONS OFFICE ON DRUGS AND CRIMES. World drug report. Viena: United Nations, 2020. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2020.

VIDAL, D. et al. Narrativas de adolescentes sobre drogas e os serviços de saúde mental CAPSia e CAPSad: intersecções possíveis no contexto de Santa Cruz do Sul. In: GARCIA, E. L.; MACHADO, L. S.; FELDMANN, R. M. (Orgs.). Prevenção ao uso de drogas na adolescência: um caminho que inicia pela escuta. 1 ed. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2020. p. 113-149. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2021.

VIEIRA, R. P. et al. Participação de adolescentes na Estratégia Saúde da Família a partir da Estrutura Teórico-Metodológica de uma Participação Habilitadora. Rev. Latino-AmEnfermagem, vol. 22, n. 2, p. 309-316, mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902