A escola como promotora da saúde mental e do bem-estar juvenil: oficinas pedagógicas com adolescentes.

Sonia Maria Ferreira Koehler, Nathália Garcia Panacioni Gonzales, Júlia Barbeito Marpica

Resumo


O presente artigo trata de um relato de experiência sobre um projeto de extensão composto por oficinas de vertente pedagógica e psicológica realizadas com 91 alunos/as matriculados/as no Ensino Médio de uma escola estadual, com idades entre 14 e 17 anos, no ano de 2019. O projeto buscou construir coletivamente recursos fundamentais para a proteção e a promoção da saúde mental e bem-estar dos jovens dentro e fora do ambiente escolar, através da troca de experiências que possibilitaram a participação ativa e o protagonismo dos adolescentes no enfrentamento das adversidades e desafios que atravessam seus cotidianos. A experiência procurou demonstrar a importância da implementação de projetos que viabilizem a expressão e a discussão acerca das realidades e relações que permeiam as vivências das juventudes, bem como promover um diálogo entre educação e saúde que oportunize a reflexão crítica a respeito da construção de um desenvolvimento juvenil integral e plural.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, M.; CASTRO, M. G. Ser jovem no brasil hoje: políticas e perfis da juventude brasileira. Cadernos Adenauer XVI, Rio de Janeiro, v. 1, p. 13 – 25, 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2020.

ABRAMOVAY, M.; CASTRO, M. G.; WAISELFISZ, J. J. Juventudes na escola, sentidos e buscas: Por que frequentam?. Brasília: Flacso - Brasil, OEI, MEC, 2015. p.346. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2020.

ABRAMOVAY, M. (coord.). Guia para estudantes: reflexões e práticas sobre violência e convivência escolar: faça você mesmo!. Rio de Janeiro: FLACSO - Brasil, BID, 2018. p.93. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2020.

ARAÚJO, L. N. et al. Viver saúde: promoção da qualidade de vida de adolescentes vulneráveis em um projeto social. Rev. SANARE, Sobral, v.14, n.01, p.93-96, jan./jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2020.

BERNI, V.; ROSO, A. A adolescência na perspectiva da psicologia social crítica. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 26, n. 1, p. 126-136, abr. de 2014. Disponível em: . Acesso em: 06 jul. 2020.

BOCK, A. A adolescência como construção social: estudo sobre livros destinados a pais e educadores. Psicol. Esc. Educ., Campinas, v. 11, n. 1, p. 63-76, jun. 2007. Disponível em: . Acesso em: 01 jul. 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. 8ª Conferência Nacional de Saúde: quando o SUS ganhou forma, 2019. Disponível em: >https://conselho.saude.gov.br/ultimas-noticias-cns/592-8-conferencia-nacional-de-saude-quando-o-sus-ganhou-forma>. Acesso em: 16 ago. 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Secretários da Saúde. Propostas do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) para sua efetivação como política pública no Brasil. Brasília, 2016a. 13 p. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2020.

BRASIL. Lei n° 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Programa Saúde nas Escolas, 2018. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. A promoção da saúde no contexto escolar. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 36, n. 4, p. 533-535, ago. 2002b. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Caderno Temático de Direitos Humanos. Brasília, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília, 2002a. 46 p. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2020.

BRASIL. Resolução nº. 510, de 07 de abril de 2016. Homologo a Resolução CNS no 510, de 07 de abril de 2016, nos termos do Decreto de Delegação de Competência de 12 de novembro de 1991. Conselho Nacional de Saúde, 2016b. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2020.

BUSS, P. M. Promoção da saúde na infância e adolescência. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant., Recife, v. 1, n. 3, p.279-282, dez. 2001. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2020.

CAMPOS, V. F. Linguagem e psicoterapia gestaltista: como se aprende a falar. São Paulo: Ideias & Letras, 2015.

CARDOSO, L.; GALERA, S. A. F. O cuidado em saúde mental na atualidade. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 45, n. 3, p. 687-691, jun. 2011. Disponível em: . Acesso em: 16 jul. 2020.

CARNEIRO, N. S. Contra a “Violência de Inexistir”: psicologia crítica e diversidade humana. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 25, n. 1, p. 40-47, 2013. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2020.

CARVALHO, A. I. Princípios e prática da promoção da saúde no Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, n. 01, p. 4-5, jan. 2008. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2020.

CARVALHO, F. F. B. A saúde vai à escola: a promoção da saúde em práticas pedagógicas. Physis, Rio de Janeiro, v. 25, n. 4, p. 1207-1227, dez. 2015. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2020.

CASEMIRO, J. P.; FONSECA, A. B. C; SECCO, F. V. M. Promover saúde na escola: reflexões a partir de uma revisão sobre saúde escolar na América Latina. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 829-840, mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2020.

DAYRELL, J.; CARRANO, P. Juventude e ensino médio: quem é este aluno que chega à escola. In: DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo; MAIA, Carla Linhares (Org.). Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: UFMG, 2014. cap. 3, p. 101-133. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2020.

FAIAL, L. C. M. et al. A escola como campo de promoção à saúde na adolescência: revisão literária. Revista Pró-UniverSUS., Niterói, v. 7, p. 22-29, jan/jun 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 ago 2020.

FREIRE, A. N.; AIRES, J. S. A contribuição da psicologia escolar na prevenção e no enfrentamento do Bullying. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 16, n. 1, p. 55-60, jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2020.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GOMES, C. M.; HORTA, N. C. Promoção de saúde do adolescente em âmbito escolar. Rev. de APS, Juíz de Fora, v. 13, n. 4, p. 486-499, out./dez. 2010. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2020.

GONÇALVES, L. F. F. et al. Promoção de saúde com adolescentes em ambiente escolar: relato de experiência. Rev. SANARE, Sobral, v.15, n.02, p.160-167, jun./dez. 2016. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2020.

GUIMARAES, J. S; LIMA, I. M. S. O. Participação juvenil e promoção da saúde: estratégia de desenvolvimento humano. Rev. bras. crescimento desenvolv. hum., São Paulo, v. 21, n. 3, p. 859-866, 2011. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2020.

LEÃO, G.; DAYRELL, J. T; REIS, J. B. Juventude, projetos de vida e ensino médio. Educ. Soc., Campinas, v. 32, n. 117, p. 1067-1084, dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2020.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 16 ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). OMS: 1 em cada 5 adolescentes enfrenta problemas de saúde mental, 2018. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2020.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Relatório Mundial da Saúde: Saúde mental: nova concepção, nova esperança. Genebra: OMS, 2002. Disponível em: . Acesso em: 18 set 2020.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE (OPAS). OPAS/OMS apoia governos no objetivo de fortalecer e promover a saúde mental da população, 2016. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2020.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE (OPAS). Folha informativa - Saúde mental dos adolescentes, 2018. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2020.

PACHECO, J. Inovar é assumir um compromisso ético com a educação. Petrópolis: Vozes, 2019.

PAPALIA, E. D.; FELDMAN, R. D. Desenvolvimento humano. 13 ed. Porto Alegre: Artmed, 2013.

RIBEIRO, K. G. et al. Educação e saúde em uma região em situação de vulnerabilidade social: avanços e desafios para as políticas públicas. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 22, supl. 1, p. 1387-1398, 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2020.

ROSSI, L. M.; MARCOLINO, T. Q.; SPERANZA, M.; CID, M. F. B. Crise e saúde mental na adolescência: a história sob a ótica de quem vive. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 35, n. 3, 2019. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2020.

SALES, M. P.; SOUSA, C. E. B. A manifestação da violência no espaço escolar. Estação Científica (UNIFAP), Macapá, v. 2, n. 2, p. 55-64, jul./dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2020.

SCHOEN-FERREIRA, T. H; AZNAR-FARIAS, M.; SILVARES, E. F. M. Adolescência através dos séculos. Psic.: Teor. e Pesq., Brasília, v. 26, n. 2, p. 227-234, jun. 2010. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722010000200004>. Acesso em: 10 set. 2020.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1986.

TOLEDO, L. G. Sexualidade e diversidade: reflexões sobre a exclusão no campo educacional. In: CANOSA, Ana Cristina; ZACHARIAS, Ronaldo; KOEHLER, Sonia Maria Ferreira (Org.). Sexualidades e Violências: um olhar sobre a banalização da violência no campo da sexualidade. São Paulo: Ideias & Letras, 2019. cap 6, p. 115 -128.

WELLER, W. Jovens no ensino médio: projetos de vida e perspectivas de futuro. In: DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo; MAIA, Carla Linhares (Org.). Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: UFMG, 2014. cap. 4, p. 135-154. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2020.

WITTER, G. P. Ponto de vista: violência e escola. Temas psicol., Ribeirão Preto, v. 18, n. 1, p. 11-15, 2010. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902