Democracia e radiodifusão: dependência global?

Suzy dos Santos

Resumo


Em maio deste ano, o governo brasileiro organizou, através de parceria entre o ministério da Cultura e a Casa Civil, o I Fórum Nacional de TVs Públicas, com a intenção de aprofundar o debate acerca das questões relativas à radiodifusão pública no Brasil. As discussões foram pautadas por um diagnóstico do setor e pelos relatórios de análise de oito Grupos Temáticos de Trabalho compostos por 95 especialistas representantes do governo federal, da sociedade civil e dos produtores de televisão pública. Chamou atenção o fato de que, entre os especialistas, figurassem apenas dois professores de comunicação, um deles aposentado. Isto pode ser explicado pela falta de uma tradição de estudos brasileiros sobre as políticas públicas de comunicação e pela visibilidade marginal do debate sobre comunicação como serviço público fundamental ao exercício da cidadania. Neste carente contexto, o 24º volume da coleção Estúdios de Televisión, intitulado Radio y televisión en España: Historia de uma asignatura pendiente de la democracia, de Enrique Bustamante, constitui importante embasamento para a reflexão nacional.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29146/eco-pos.v10i1.1055

Apontamentos

  • Não há apontamentos.