O realismo especulativo e a metafísica dos outros

Hilan Bensusan

Resumo


O artigo contrasta os caminhos para sair da era do correlato escolhidos por Graham Harman e Quentin Meillassoux, e o realismo especulativo em geral, com o caminho de uma metafísica dos outros. Para isso, uma análise que os autores do realismo especulativo fazem da especulação é realizada para mostrar que há um compromisso maior com a totalidade especular do que com a exterioridade ou com um Grande Fora. A partir de um contraste entre a especulação e a metafísica dos outros, fica claro como as alternativas à metafísica da subjetividade, nos termos de Meillassoux, podem envolver um menor compromisso com os procedimentos especulativos.

Texto completo:

PDF

Referências


COGBURN, Jon. Garcian meditations: the dialectis of persistence in Form and Object. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2017.

GARCIA, Tristan. Forme et objet, Paris: Presses Univesitaires de France, 2011.

GRATTON, Peter. Speculative realism: problems and prospects. London: Bloomsbury Academic, 2014.

HARMAN, Graham Harman, Quentin Meillassoux: Philosophy in the Making, Edinburgh: Edinburgh University Press, 2011.

HARMAN, Graham Harman, The Quadruple Object, Londres: Zero Books, 2011a.

HEIDEGGER, Martin. Bremen and Freiburg lectures: insight into that which is and basic principles of thinking. Bloomington, IN: Indiana University Press, 2012.

KRIPKE, Saul. Naming and necessity. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1972.

LEIBNIZ, Gottfried. Ensaios de teodiceia: sobre a bondade de Deus, a liberdade do homem e a origem do mal. São Paulo: Estação Liberdade, 2013.

LEVINAS, Emmanuel. Totalité et infini: essai sur la exteriorité. The Hague and Boston: Martinus Nijhoff, 1961.

MEILLASSOUX, Quentin. After finitude: an essay on the necessity of contingency. London: Continuum, 2010.

WAHL, Jean. Traité de métaphysique. Paris: Payot, 1968.

WHITEHEAD, Alfred. Process and reality. New York: Free Press, 1978.

______. The concept of nature. Cambridge: Cambridge University Press, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.29146/eco-pos.v21i2.17764

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.