A Representação Feminina nas Campanhas Antitabagistas do Ministério da Saúde

Raphael Silva Souza Oliveira Carvalho, Rubens Cleto Moreira Vieira, Boanerges Balbino Lopes Filho

Resumo


O consumo do tabaco é responsável por grande parte da mortalidade evitável no mundo. Neste contexto, existe um intenso esforço do Governo Federal Brasileiro em promover a saúde pública por meio da implantação de estratégias de comunicação antitabagistas do Ministério da Saúde. Dados atuais mostram que há uma menor redução no número de mulheres fumantes, com relação aos homens, após o início das veiculações de imagens de Advertências Sanitárias nos Produtos de Tabaco. Por essa ótica, o presente trabalho busca analisar de que maneira as teorias relativas às identidades, abordando questões de identificação e pertencimento, podem ser importantes ao propor campanhas de comunicação que visam promover uma mobilização social em prol desta causa, com foco nas representações do gênero feminino.

PALAVRAS-CHAVE: Identidade, Questões de Gênero, tabagismo, Saúde, Comunicação.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29146/eco-pos.v13i3.847

Apontamentos

  • Não há apontamentos.