O pensamento social de Oliveira Vianna e a cidadania no Brasil -- de 1920 ao fim da década de 1940

Alexander David Anton Couto Englander

Resumo


O artigo aborda as relações de influência mútua entre o pensamento social de Oliveira Vianna e a vida política do país nos anos 20 e 30. Este intelectual nos oferece uma condição de estudo especial, pois as idéias presentes em seu primeiro livro, Populações Meridionais do Brasil, de 1920, antecipam e - tomo como hipótese - participam da estruturação dos debates e das disputas políticas que resultaram na Revolução de 30 e, posteriormente, no Estado Novo. O Estado Novo, que utilizou-se institucionalmente das teorias de Vianna e, por outro lado, pelo sociólogo foi estudado, obrigando-o inclusive a reformular suas teorias, foi incapaz de criar uma “Sociedade Nova”, integralmente moderna e plenamente constituída de uma cultura de direitos, como idealizou Vianna em seus livros das décadas de 1920 e 1930. No fim da década de 1940, com o fim da ditadura Vargas, Vianna reformula suas idéias das décadas anteriores, repensando o papel do Estado como portador social da mudança.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Habitus

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.