Aníbal Quijano e José Maria Arguedas: um encontro entre sociologia e literatura

Layla Jorge Teixeira Cesar

Resumo


A proposta teórica que nos oferece Aníbal Quijano é fundamental para o estudo das relações coloniais que se desenvolvem na América Latina. A compreensão do significado de seus conceitos, contudo, pode ser mais profunda na medida em que se conheça o contexto de sua elaboração. Recorreremos aqui à produção literária de José Maria Arguedas, seu conterrâneo, a fim de preencher de conteúdo as categorias quijanianas, em especial no que se refere às noções de colonialidade do poder, eurocentrismo e raça. Dentro do acervo de Arguedas, foi selecionada, para os fins deste artigo, a obra Os Rios Profundos por acreditar-se que seu conteúdo autobiográfico confira maior verossimilhança à narrativa.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Habitus

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.